Repressão policial para manter quarentena no Piauí é tema do debate 360

Deputados federais Paulão (PT-AL) e Caroline de Toni (PSL-SC) discutiram o vídeo que mostra um policial desmaiando um comerciante que desrespeitou isolamento

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia
 
Um dos assuntos mais comentados na internet nesta terça-feira (21) foi um vídeo que mostrava agentes das forças de segurança do Piauí fechando um comércio aberto ilegalmente durante a quarentena. Policiais imobilizaram o comerciante, que durante o ato chegou a desmaiar após um mata leão de um policial.
 
Para discutir o episório, o Debate 360 colocou frente a frente o deputado federal Paulão (PT-AL) e a deputada federal Caroline de Toni (PSL-SC) para discutir os excessos praticados em nome do isolamento social.

Para a deputada Caroline, as medidas de restrição aprovadas no contexto da pandemia agridem o direito de ir e vir do cidadão, e são uma afronta a constituição.

“Ficamos assustados em ver medidas que achamos excessivas. Sob o pretexto de pandemia, vimos serem editados decretos absolutamente inconstitucionais, cerceando direitos e garantias previstos na constituição, que são cláusulas pétreas. São nestes momento que vemos quem é totalitário e quem defende a democracia.”

Para o deputado Paulão, o caso é isolado e será investigado pelo governador, que já pediu a abertura de inquérito.

“Esse é um caso específico que terá que ser apurado, e está em contexto maior, mas temos que lembrar que os procedimentos de isolamento social são recomendados pela ciências, e que nós  mesmo temos um presidente que desobedece estar deliberações. A situação é grave por não termos medicamentos, por isso o isolamento é tão importante.”

A deputada Caroline lembrou que é preciso “prudência para tomar medidas de isolamento por conta do impacto economico”, e que “no Brasil o vírus vem se comportando de maneira diferente por conta do clima, dos impactos da vacina contra a tuberculose e a cloroquina”.

Paulão questionou as falas de Caroline sobre o comportamento do vírus no Brasil, dizendo não ter embasamento da OMS sobre as afirmações, e que o próprio presidente ignora dados da ciência.

“As teses de Bolsonaro não tem embasamento científico. Sobre a cloroquina, um médico que se auto medicou com o medicamento morreu por intoxicação. Não há embasamento sobre estar teorias nem pela OMS e nem conselho federal de medicina. A discussão aqui é sobre quem acredita na ciência e quem acredita no obscurantismo”.

Sobre a questão do embasamento da ciência, Caroline disse que os estudos estão acontecendo em tempo real, e que é “difícil ter assertividade sobre a questão”. Ela voltou a questionar as medidas de restrições de ir e vir também para as restrições de exercer atividade econômica.

“Direito de ir e vir estão na constituição, o direito a vida também, e ele também diz respeito ao direito de exercer atividade econômica, que é o que garante a uma pessoa condições para viver”.

Sobre o vídeo e os atos excessivos das forças policiais, Paulão culpou a cultura de violência no Brasil, e não a situação, dizendo se tratar de uma questão maior. “A cultura de violência no Brasil é histórica, nossas policias foram criadas para servir as elites. Mas é claro que todo excesso deve ser punido, e eu conheço o governador, é um pacifista e que irá investigar a questão”.

Mais Recentes da CNN