Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rio conclui lista de líderes de facções criminosas que irão para presídios federais

    “Quero parabenizar nossos agentes de segurança pública. Em apenas três etapas da Operação Maré, já demos um prejuízo de mais de R$ 20 milhões às facções criminosas", afirma governador do Rio de Janeiro

    "É preciso ter critérios claros e detalhados para que a transferência seja feita de forma correta e benéfica para o estado”, diz Claudio Castro
    "É preciso ter critérios claros e detalhados para que a transferência seja feita de forma correta e benéfica para o estado”, diz Claudio Castro Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

    Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil

    O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, se reuniu na quarta-feira (11) com o procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos, para alinhar o processo de pedido de transferência de líderes das facções criminosas do Rio para presídios federais.

    O encontro foi na sede do Ministério Público. Castro disse que “o trabalho será feito em conjunto com as forças estaduais de segurança e os promotores de justiça. É preciso ter critérios claros e detalhados para que a transferência seja feita de forma correta e benéfica para o estado”.

    O balanço da Operação Maré também foi abordado na reunião, além da parceria estratégica do governo local com o Ministério Público estadual.

    Prejuízo de R$ 20 milhões aos criminosos

    “Quero parabenizar os nossos agentes de segurança pública. Em apenas três etapas da Operação Maré, já demos um prejuízo de mais de R$ 20 milhões às facções criminosas e vamos continuar asfixiando essas máfias. Continuaremos com o trabalho focado em tecnologia, aliado à inteligência e estratégia. Estamos no caminho certo”, avaliou Castro.

    O procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos, falou da importância da parceria dos órgãos estaduais e federais no combate à criminalidade. “A segurança pública é prioridade para o Ministério Público. Já atuamos de forma efetiva com investigação criminal, execução penal, ocupação irregular do solo e sistema financeiro, entre outras funções pertinentes ao Ministério Público. Com relação à transferência de presos, estamos trabalhando em conjunto com as forças de segurança estaduais e a lista será elaborada com responsabilidade e estratégia”, finalizou.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Agência Brasil.

    versão original