Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rio de Janeiro tem infestação de escorpião e mais de 100 pessoas picadas em 2024

    Ao todo, segundo a secretaria de saúde do estado, 38 municípios registraram eventos de picada neste ano

    Rio de Janeiro tem infestação de escorpião e mais de 100 pessoas picadas em 2024. Imagem ilustrativa
    Rio de Janeiro tem infestação de escorpião e mais de 100 pessoas picadas em 2024. Imagem ilustrativa RHJ/Getty Images

    Luan Leãoda CNN*

    O governo do Rio de Janeiro voltou suas atenções ao aparecimento de escorpiões na região de Porto Real, no interior do estado, nos últimos dias. Um plano de ação, em colaboração com o Instituto Vital Brazil, realizou a coleta dos animais peçonhentos e capacitação dos profissionais da área de saúde das cidades.

    Segundo Claudio Maurício Vieira, biólogo e coordenador do Laboratório de Artrópodes do Instituto Vital Brazil, a presença destes animais tem aumentado consideravelmente nos últimos anos em áreas onde antes eram menos frequentes. O coordenador também detalhou as ações realizadas na cidade de Porto Real e em Búzios.

    Uma das estratégias essenciais que desenhamos para lidar com essa situação é o apoio teórico e prático às prefeituras para a identificação, prevenção e controle da proliferação de escorpiões. Isso inclui, por exemplo, a capacitação dos técnicos municipais de vigilância e agentes de saúde. Em Búzios, também foram coletados escorpiões, o que demonstra a necessidade de medidas eficazes”, explicou Vieira.

    A Secretaria de Saúde do Rio informou que em 2024, até o momento, 101 pessoas foram picadas por escorpiões em todo o estado. Desse total, 69 dos acidentes foram leves; 17 moderados; 14 ignorados; e apenas 1 caso grave. Em todo o ano de 2023, a secretaria afirmou ter tido 818 casos de picadas de escorpião.

    Segundo a SES-RJ, a lista de eventos com escorpiões envolve 38 municípios do estado do Rio, sendo: 13 em Petrópolis; 9 em Areal; 6 em São Francisco de Itabapoana; outras 6 em Paraíba do Sul; 5 em Iguaba Grande; 6 em Três Rios; 7 em Volta Redonda; outras 3 em Mendes; e mais 3 em Araruama.

    Em 14 municípios, houve registro de 2 picadas por escorpião: Campos dos Goytacazes; São João da Barra; Rio de Janeiro (capital); Rio das Flores; Pinheiral; Carmo; Natividade; Itaocara; Italva; Cambuci; Barra do Piraí; Sapucaia; Resende e Valença.

    Outros 16 municípios, houve registro de 1 picada por escorpião: Casimiro de Abreu; São Pedro da Aldeia; Nova Friburgo; Miracema; São Fidélis; Miguel Pereira; Bom Jesus do Itabapoana; Engenheiro Paulo de Frontin; Barra Mansa; Vassouras; Itaperuna; Arraial do Cabo; Quatis; Saquarema e Sumidouro.

    Mesmo não aparecendo na lista da SES-RJ, a cidade de Búzios confirmou à CNN o registro do primeiro caso de picada de escorpião. No episódio, uma pessoa foi picada e encaminhada para atendimento médico no Hospital Rodolfo Perissé, onde permaneceu em observação e depois foi liberada. “Pedimos à população que permaneça vigilante e tome precauções ao frequentar áreas onde escorpiões possam estar presentes”, diz a nota da prefeitura.

    O Instituto Vital Brazil estuda as razões para o aumento do número de escorpiões nos últimos anos no estado do Rio de Janeiro, as mudanças climáticas podem ser apontadas como um dos fatores. Além de Búzios e Porto Real, o IVB já colaborou no controle destes animais em outros municípios como Petrópolis, Rio das Flores, São Francisco do Itabapoana, São Gonçalo, Três Rios, Pinheiral, Piraí e Sapucaia.

    Como se prevenir de acidentes com escorpiões e outros animais peçonhentos

    Manter jardins e quintais limpos. Evitar o acúmulo de entulhos, folhas secas, lixo doméstico e material de construção nas proximidades das casas.

    Evitar folhagens densas (plantas ornamentais, trepadeiras, arbusto, bananeiras e outras) junto a paredes e muros das casas. Manter a grama aparada; limpar periodicamente os terrenos baldios vizinhos, pelo menos, numa faixa de um a dois metros junto das casas.

    Sacudir roupas e sapatos antes de usá-los, pois animais podem se esconder neles e picar ao serem comprimidos contra o corpo; combater a proliferação de insetos, para evitar o aparecimento de escorpiões e aranhas que deles se alimentam; verificar a presença de animais em hortifrutigranjeiros.

    Vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos e vãos entre o forro e paredes para impedir o trânsito de aranhas pela residência.

    *Sob supervisão de André Rigue