Rio endurece restrições, insumos da Coronavac e mais da tarde de 4 de março

5 Fatos Tarde, apresentado por Roberta Russo, repercute principais notícias do Brasil e do mundo

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

As novas medidas restritivas na capital do Rio de Janeiro, o novo lote de insumos para a fabricação da Coronavac em São Paulo e a “proteína da vida” descoberta por pesquisadores da Alemanha estão entre os destaques do 5 Fatos Tarde desta quinta-feira, 4 de março de 2021.

Novas medidas no RJ

A prefeitura do Rio de Janeiro publicou as novas medidas restritivas para tentar conter o avanço da Covid-19. Entre elas, estão a proibição de funcionamento de quiosques, boates e feiras de artesanato. A permanência nas ruas e em espaços públicos também ficará restrita no horário entre 23h e 5h.

Coronavac

Um novo lote de insumos para a produção da Coronavac, a vacina contra a Covid-19 produzida pelo Instituto Butantan, chegou hoje cedo ao aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. A matéria-prima é suficiente para a produção de 14 milhões de doses.

Vacina contra variante

Um ensaio na África do Sul de uma vacina experimental contra o coronavírus feita pela fabricante americana de vacinas Novavax mostrou que o imunizante é cerca de 50% eficaz contra a variante, que agora é a cepa dominante no país africano. A variação sul-africana do vírus apresenta a mesma mutação encontrada na cepa de Manaus, que aumenta a transmissibilidade.

‘Boom’ de casos no Brasil

Em entrevista à CNN, o presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Juarez Cunha, disse acreditar que a culpa para os recordes diários de casos e mortes por Covid-19 no Brasil não pode ser colocada apenas nas variantes do coronavírus que circulam no país, mas também “um comportamento de aglomeração“. Ele afirmou que todos os estados estão com sua rede muito comprometida e a tendência é piorar, acrescentando que as pessoas infelizmente não estão colaborando.

‘Proteína da vida’

Cientistas da Alemanha descobriram que uma proteína, conhecida como NFL, está relacionada com a longevidade. Ela é encontrada nas células nervosas do sangue. Os pesquisadores estudaram os níveis dessa proteína em idosos com cerca de 90 anos e também em um grupo centenário. De acordo com os resultados, ter níveis baixos dessa proteína pode aumentar o tempo de vida.

Newsletter

Para receber as principais notícias todos os dias no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br 

Mais Recentes da CNN