Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rio recua em reabertura, fecha praias após aglomerações e adia volta de cinemas

    Sexta fase do plano de flexibilização será dividida em duas etapas

    Banhistas na praia de Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro
    Banhistas na praia de Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro Foto: Wilton Júnior/Estadão Conteúdo (30.ago.2020)

    Lucas Janone e Camile Couto

    Da CNN, no Rio de Janeiro

    Ouvir notícia

    Museus, parques de diversão, bibliotecas, galerias de arte, cursos profissionalizantes e casas de festas infantis estão liberados para funcionar de forma presencial no Rio de Janeiro a partir desta terça-feira (01). Apesar da abertura, os estabelecimentos vão precisar limitar a capacidade em até 1/3 da ocupação original.

    As novas medidas divulgadas pela prefeitura do Rio flexibilizam ainda mais o isolamento social vigente na cidade. A Fase 6 da retomada econômica no município acontece em duas etapas: 6A e 6B. Cada uma terá duração de 30 dias.

    Já os cinemas, teatros e as casas de festas para adultos, por exemplo, são algum dos setores com previsão de retorno apenas em 1º de outubro — o prazo inicial do plano era 29 de agosto . A liberação para que as pessoas a permaneçam nas areias das praias ainda não está definida. 

    Após o fim da fase 6, a cidade vai entrar no período “conservador”, estimado para início de outubro. Esse momento terá vigência até o final do ano ou até que a vacina contra a doença seja desenvolvida. 

    Leia e assista também

    Rio e São Paulo têm aglomerações em domingo de temperatura alta

    Sem respeitar regras, cariocas lotam praias em domingo de sol no Rio de Janeiro

    A Prefeitura do Rio anunciou em 16 de agosto que a Fase 5 do plano de flexibilização das medidas de isolamento social na cidade seria prorrogada por mais 15 dias. A medida foi tomada para evitar locais fechados que gerem aglomeração e, assim, controlar o aumento no números de casos de coronavírus evidenciados nas últimas semanas.  

    A Secretária de Saúde do Rio Beatriz Busch e a Subsecretária de Vigilância Sanitária Marcia Rolim atribuíram o aumento nos números da Covid-19 ao desrespeitos e aglomerações nas praias e bares da cidade. O prefeito do Rio de Janeiro Marcello Crivella pediu conscientização para a população fluminense. “Já estamos há vários meses nessa luta. Não podemos estragar o que já fizemos no combate à Covid-19.”

    Contrariando a determinação, os cariocas lotaram as praias da cidade neste final de semana e permaneceram nas faixas de areia nas zonas Sul e Oeste do Rio de Janeiro. Diversos pontos de aglomeração foram vistos na orla, apesar de somente o banho de mar estar permitido. 

    A determinação faz parte da Fase 5 da flexibilização que começou no dia 3 de julho e liberou o acesso ao mar. A retomada gradual dos ambulantes e ampliação nos horários de estabelecimentos também foram outras atividades liberadas pela penúltima fase do plano de reabertura determinada pela prefeitura.

    Mais Recentes da CNN