Rio suspende aplicação da 1ª dose da vacina desta quarta após atraso na entrega

De acordo com o cronograma anterior, pessoas com mais de 24 anos receberiam a 1ª dose amanhã

Sinara Peixoto, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou na tarde desta terça-feira (10) que o município vai suspender a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 para pessoas a partir de 24 anos, prevista para esta quarta. 

Por meio do perfil que mantém no Twitter, Paes disse que o atraso na entrega de imunizantes gerou a suspensão.

“Infelizmente, fomos informados que as vacinas previstas para hoje só chegarão nessa madrugada. Isso nos leva a ter que suspender a vacinação da primeira dose no dia de amanhã”.

Somente adultos acima de 50 anos, pessoas com deficiência, gestantes e puérperas a partir de 18 anos poderão receber a primeira dose. A segunda dose está mantida nos postos normalmente.

O prefeito afirma que “muito provavelmente”, o cronograma de imunização na cidade retorna na quinta-feira (12). 

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio disse que “aguardou até o início da noite desta terça-feira que o Ministério da Saúde distribuísse as doses de vacinas contra a Covid-19 recebidas desde o dia 4 de agosto”.

A pasta municipal afirma que “no total, o Ministério da Saúde tem em estoque 5,8 milhões de doses da Pfizer; 3,4 milhões de CoronaVac e 1,1 milhão de AstraZeneca”.

O município também apela para que as doses sejam distribuídas pelo Ministério da Saúde em até 24 horas após a chegada dos imunizantes.

“A cidade do Rio de Janeiro espera receber o proporcional da sua população para seguir com o calendário de D1, e reforça o pedido para que o MS distribua as vacinas em, no máximo, 24 horas a partir da entrega pelos produtores. Também considera fundamental que o ministério apresente um calendário de distribuição, visto que a Pfizer, a Fiocruz e o Butantã entregam as vacinas nas datas previstas em contrato”. 

A CNN entrou em contato com o Ministério da Saúde e aguarda resposta da pasta sobre as declarações do município do Rio.

Íntegra da nota do Rio

“A Secretaria Municipal de Saúde (SMS-Rio) aguardou até o início da noite desta terça-feira (10) que o Ministério da Saúde (MS) distribuísse as doses de vacinas contra a covid-19 recebidas desde o dia 4 de agosto. Como as doses não foram entregues, a SMS-Rio se vê mais uma vez obrigada a suspender a aplicação de primeiras doses (D1) no Município do Rio. A segunda dose (D2) está mantida nos postos. 

No total, o Ministério da Saúde tem em estoque 5,8 milhões de doses da Pfizer; 3,4 milhões de CoronaVac e 1,1 milhão de AstraZeneca. A cidade do Rio de Janeiro espera receber o proporcional da sua população para seguir com o calendário de D1, e reforça o pedido para que o MS distribua as vacinas em, no máximo, 24 horas a partir da entrega pelos produtores. Também considera fundamental que o ministério apresente um calendário de distribuição, visto que a Pfizer, a Fiocruz e o Butantã entregam as vacinas nas datas previstas em contrato. 

Em pleno inverno e com uma nova variante do coronavírus circulando, é imprescindível que todos tenham senso de urgência com a campanha para vacinação covid-19.”

Vacinação na Tijuca, Rio de Janeiro
Vacinação na Tijuca, Rio de Janeiro
Foto: Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images

Mais Recentes da CNN