RJ pode desobrigar uso de máscaras em locais fechados em novembro, diz Paes

Medida será adotada quando 75% dos cariocas forem vacinados contra a Covid-19

Rio estuda desobrigar uso de máscaras em locais abertos e, posteriormente, fechados
Rio estuda desobrigar uso de máscaras em locais abertos e, posteriormente, fechados Pilar Olivares / Reuters (14.mar.2020)

Lucas Janoneda CNN

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), afirmou nesta quinta-feira (21) que o uso de máscaras de proteção em locais fechados passará a ser facultativo na capital fluminense quando 75% da população total do município estiver imunizada contra a Covid-19.

De acordo com as projeções de Paes, isso deve acontecer em meados de novembro. Nesse momento, o Rio tem 61,7% da população total vacinada.

“Quando a gente chegar a 75% da população carioca vacinada, ou seja, praticamente 100% da população crítica imunizada, a gente vai permitir a liberdade de usar a máscara em locais fechados. Lá para o dia 15 de novembro, a gente quer chegar ao momento que está ‘meio’ que tudo liberado”, disse Eduardo Paes.

Para os locais abertos, a expectativa da Prefeitura do Rio de Janeiro é flexibilizar o uso de máscaras até a próxima terça-feira (26), quando a cobertura vacinal chegar em 65% na capital fluminense. Entretanto, se houver piora no cenário epidemiológico e o surgimento de novas variantes, o cronograma pode ser alterado, segundo Paes.

A realização do Carnaval e do Réveillon no Rio de Janeiro também está condicionada a uma ampla vacinação contra o novo coronavírus. O secretário municipal de saúde, Daniel Soranz, afirmou que os eventos só vão acontecer com 90% da população adulta da cidade totalmente imunizada.

“Para que a gente possa ter um Carnaval com segurança, tudo isso vai depender da adesão do carioca à vacina. A gente estima chegar a 75% da população geral vacinada e 90% população da população adulta vacinada ainda no mês de novembro. Isso dá muita tranquilidade para a gente poder continuando as nossas etapas de abertura”, explicou o secretário.

Mais Recentes da CNN