Sem novas doses, vacinas contra Covid podem acabar no Rio nesta quarta-feira

Prefeitura diz aguardar lote de Coronavac entregue ao Ministério da Saúde no último dia 3 e que há demora na distribuição; ministério diz que fará entrega

Leandro Resendeda CNN

Ouvir notícia

O secretário municipal de saúde do Rio, Daniel Soranz, confirmou à CNN que as vacinas contra Covid-19 disponíveis no município acabam nesta quarta-feira (10), caso não cheguem novas doses do imunizante. A prefeitura reclama que um lote de 900 mil doses da Coronavac foi enviado pelo Instituto Butantan ao Ministério da Saúde no último dia 3, mas ainda não foi distribuído para os estados e, por isso, não chegou para ser usado na capital fluminense. 

Na semana passada, a Prefeitura do Rio divulgou um calendário que prevê que idosos de até 67 anos sejam vacinados neste mês, sendo cada dia específico para uma idade, mas destacou que só poderia cumprir o cronograma caso chegassem as doses prometidas pelo governo federal. A previsão da prefeitura é vacinar idosos de 77 anos (segunda e terça) e 76 anos (quarta).

Em postagem no Twitter neste domingo, o prefeito Eduardo Paes pressionou o Ministério da Saúde ao comentar uma postagem da Pasta que anunciou a distribuição de 22,7 milhões de doses da Coronavac diluídas em remessas semanais ao longo deste mês. “Só é fundamental -para que não ocorra atraso no calendário do Rio- que o Ministério da Saúde distribua a vacina na mesma data em que recebe do Butantan, qualquer atraso significa vidas que podem ser perdidas. Obrigado pela atenção!”, escreveu Paes.

A Prefeitura do Rio já precisou suspender a vacinação contra Covid-19 por falta de doses. Foram nove dias de interrupção, entre 17 e 25 de fevereiro. Em nota, o Ministério da Saúde informou que não há “represamento” das doses e que o Instituto Butantan, que produz a Coronavac, prevê a entrega de 1,7 milhão de doses amanhã (8) para o Programa Nacional de Imunização.

“Tratamos como previsão pois pode haver alterações no cronograma do laboratório. E aí o Ministério vai manter a mesma periodicidade que o laboratório, com repasses semanais aos estados”.

Fontes da Secretaria Estadual de Saúde relataram à CNN que não receberam, até o momento, nenhuma sinalização do Ministério da Saúde sobre o envio de novas doses.

Mais Recentes da CNN