Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Servidor da OAB que organizava “festas sexuais” com drogas em apartamento de luxo é preso por tráfico no DF

    Segundo a Polícia Civil, o suspeito, de 58 anos, é membro do Conselho da OAB do Rio de Janeiro. A identidade dele não foi divulgada

    Polícia prende servidor da OAB que organizava ‘festas sexuais’ com drogas em apartamento de luxo
    Polícia prende servidor da OAB que organizava ‘festas sexuais’ com drogas em apartamento de luxo Polícia Civil do Distrito Federal

    Victor Aguiarda CNN

    São Paulo

    Um servidor do Conselho da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Rio de Janeiro foi preso por suspeita de tráfico de drogas na manhã desta sexta-feira (19), no Distrito Federal. O homem, de 58 anos, também é acusado de organizar festas sexuais em seu apartamento de luxo, onde compartilhava entorpecentes com os participantes.

    Segundo a Polícia Civil, as investigações começaram após o recebimento de denúncias anônimas que informavam que o suspeito comercializava substâncias ilícitas no próprio apartamento, situado em um condomínio às margens do Lago Paranoá, em Brasília.

    Ainda de acordo com os denunciantes, ele seria responsável pela venda de cocaína, ecstasy líquido e ketamina.

    Durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na residência do suspeito, frascos de ketamina, comprimidos de drogas sintéticas e um frasco com lidocaína foram recolhidos pela polícia.

    “As investigações também revelaram que o traficante frequentava locais com prostitutas e intermediava a compra de drogas por meio do contato dessas mulheres. Ele também realizava festas sexuais no seu flat, onde compartilhava drogas com os participantes”, afirmou o delegado-chefe da 5ª DP, João Ataliba Neto.

    O homem foi preso em flagrante e encaminhado à sede da 5ª DP, onde aguarda por julgamento da Justiça. No momento da prisão, ele estava acompanhado de um garoto de programa.

    A CNN pediu um posicionamento à OAB do Rio de Janeiro, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.