Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Sintomas de doença mental na 3ª idade: sete indicadores apontam para depressão

    Segundo dados do IBGE, a faixa etária de 60 e 64 anos é mais suscetível à manifestação de doenças como demência, depressão, ansiedade e quadros psicóticos

    Getty Images

    Da CNN

    Apesar de a depressão não escolher faixa etária, números do IBGE indicam que idosos compõem o grupo mais afetado pela doença — ela atinge cerca de 13% da população entre os 60 e 64 anos no País. E isso tem a ver não só com questões bioquímicas, mas também com questões de ordem socioemocional, como a aposentadoria, perdas na capacidade física e um eventual sentimento de “inutilidade” e inadequação.

    A alta de casos de depressão em idosos está intrinsecamente ligada ao fato de que a população do Brasil, na totalidade, está envelhecendo. Ainda segundo o IBGE, o número de idosos no Brasil chegou a 31,2 milhões (o equivalente a 14,7% da população) em 2021. E até 2050, a expectativa é de que esse número seja o dobro.

    Por isso, para Roni Mukamal, superintendente de Medicina Preventiva da MedSênior, nunca foi tão urgente um olhar atento sobre o cenário: ”é preciso ainda mais cuidado ao observar sintomas nem sempre tão óbvios e típicos”.

    Ele alerta que, muitas vezes, a doença se manifesta de forma diferente do que nas pessoas mais jovens: ”sintomas como perda de apetite, irregularidades no sono, desânimo para realizar atividades antes vistas como prazerosas e mudanças emocionais não comuns, com sinais claros de tristeza, nervosismo ou confusão mental devem ser considerados”.

    Os idosos também podem desenvolver alterações cognitivas, dificultando o diagnóstico da depressão. Alguns exemplos são perda de memória, falta de concentração e dificuldade de raciocínio. “É importante procurar acompanhamento médico para o diagnóstico e a definição do tratamento”, ressalta.

    Confira sete dos principais sintomas relacionados a problemas de saúde mental na terceira idade

    1. Mau-humor / tristeza — em alguns casos, podem indicar demência ou depressão. Por isso, não devem ser negligenciados. Em se tratando da demência, ela surge acompanhada de outros sintomas, tais como: confusão; desorientação; perda de memória; falta de atenção; dificuldade em tomar decisões; dificuldade de se expressar; aumento da irritabilidade; letargia. Quando o problema é depressão, o sintoma pode vir acompanhado de tristeza constante; desespero; mau-humor; perda de interesse em atividades; sentimento de culpa e desesperança; isolamento social; mudanças recorrentes no humor; insônia ou falta de energia; sentimento de inutilidade; culpa; vazio.
    2. Mudanças no apetite — O aumento ou diminuição do apetite, bem como a perda ou ganho de peso repentino, podem estar relacionados ao surgimento de transtornos mentais em idosos.
    3. Perda de interesse em atividades — O idoso não parece tão interessado em atividades e atividades de lazer que antes o deixavam muito feliz? Esse é um dos principais sintomas relacionados à depressão, ansiedade ou demência. Como consequência, o idoso pode se isolar, agravando o distúrbio mental.
    4. Mudanças nos hábitos de higiene pessoal — A idosa está com dificuldades para realizar sua higiene pessoal ou está obcecado em se manter limpa? Esses sinais clínicos estão relacionados à demência, depressão ou transtornos de personalidade. Nesses distúrbios, é comum que idosos percam a energia e negligenciem a aparência e higiene, até parar de cuidar de si. Atividades como tomar banho, escovar os dentes ou trocar de roupa se tornam exaustivas, por isso, podem ser deixadas de lado.
    5. Isolamento social — Idosos costumam se isolar por uma variedade de razões, como problemas de saúde, dificuldades financeiras, luto, solidão, depressão, ansiedade, dificuldade de locomoção e desinteresse em participar de atividades sociais.
    6. Sintomas físicos inexplicáveis — Tensão e dor muscular, sudorese, tremores, distúrbios digestivos e alterações nos hábitos intestinais podem ser manifestações físicas de problemas de saúde mental. Eles são inespecíficos e não estão relacionados a qualquer condição médica preexistente. Em alguns casos, esses sintomas estão relacionados à depressão, ansiedade, estresse pós-traumático, transtorno bipolar ou transtorno obsessivo-compulsivo.
    7. Alterações do sono — Alterações repentinas, como sono excessivo ou dificuldade para dormir também estão relacionadas a distúrbios de saúde mental.

    Para evitar ou tratar esses principais sintomas, o médico alerta a importância de manter acompanhamento médico regular, praticar exercícios físicos, adotar uma alimentação saudável, além de preservar uma vida social ativa, atividades de lazer e atividades de lazer são formas de prevenir e tratar problemas de saúde mental.