Temperatura na região Sul do Brasil só deve diminuir no meio da próxima semana

Carine Gama, meteorologista da ClimaTempo, explica que combinação de La Niña e bloqueio atmosférico resulta em ar seco e impede avanço de frente fria

Duda CambraiaTiago Tortellada CNN

Ouvir notícia

A temperatura na região Sul do Brasil, em especial no Rio Grande do Sul, só deve diminuir no meio da próxima semana, conforme explicou a meteorologista da ClimaTempo Carine Gama em entrevista à CNN nesta quarta-feira (12).

Uma forte onda de calor atinge o Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina nesta semana, o que fez com que os termômetros em cidades do Rio Grande do Sul registrassem 40°C, 15 graus acima da média histórica para o mês de janeiro.

Em Buenos Aires, o calor aumentou tanto a demanda de energia elétrica que causou um apagão, afetando mais de 700 mil pessoas.

Segundo Gama, o fenômeno La Niña, no Oceano Pacífico, diminui as chuvas na região. Junto a isso, um bloqueio atmosférico impede o avanço de uma frente fria, concentrando ar seco e resultando em temperaturas altas.

A meteorologista alertou que entre quinta-feira (13) e segunda-feira (17) o Rio Grande do Sul deve registrar as maiores temperaturas, com até 42°C em alguns municípios. A onda de calor se estende ainda para o centro-oeste Santa Catarina e o sudoeste do Paraná.

Em Uruguaiana (RS), por exemplo, os termômetros registraram 40,4°C. Na Argentina, Córdoba presenciou a temperatura recorde de 47,5°C.

Gama disse que essa situação deve começar a mudar a partir de domingo (16), quando uma frente fria avançará pelo Uruguai e Rio Grande do Sul, trazendo chuva. Ainda assim, os moradores da região ainda sentirão tempo abafado e temperaturas máximas de até 35°C.

Veja a entrevista completa no vídeo acima

Mais Recentes da CNN