Toque de recolher em Kiev, Brasil avalia apoiar resolução da Rússia na ONU e mais de 16 de março

Confira o '5 Fatos Manhã', com as principais notícias do dia

Fabrizio Neitzkeda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O toque de recolher instituído na capital ucraniana, Kiev, e a possibilidade do Brasil apoiar o projeto russo de resolução humanitária na ONU estão entre os destaques do 5 Fatos da manhã de 16 de março.

Negociações sobre a guerra

Pelo terceiro dia consecutivo, Rússia e Ucrânia retomam hoje (16) as negociações sobre a guerra no Leste Europeu. As conversas ainda não tiveram avanço, mas o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, classificou as reuniões como mais “realistas” e pediu mais tempo para um acordo com o presidente russo Vladimir Putin.

Toque de recolher

Sob ordem do prefeito Vitali Klitschko, a capital ucraniana, Kiev, está sob toque de recolher até amanhã. A cidade enfrenta ataques das tropas russas nos últimos dias, com explosões em prédios residenciais, e tem sido cercada pelo exército.

Discurso de Zelensky

Volodymyr Zelensky deve discursar ao Congresso dos Estados Unidos na manhã de hoje. A expectativa é de que o presidente solicite auxílio ao país, incluindo assistência militar. Autoridades norte-americanas disseram que o presidente Joe Biden deve apresentar um novo pacote de ajuda ao país do Leste Europeu.

Resolução da Rússia

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil avalia a possibilidade de apoiar um projeto de resolução humanitária sobre a guerra na Ucrânia que foi apresentado pela Rússia no Conselho de Segurança da ONU. Fontes do Itamaraty disseram à CNN concordam com o mérito da proposta, mas tem restrições contra o autor.

Reforma tributária

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado deve votar nesta quarta-feira o relatório sobre a reforma tributária. A proposta simplifica tributos indiretos sobre consumo e produção e também pode ajudar a frear o preço dos combustíveis no país.

Newsletter

Para receber as principais notícias todos os dias no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br

 

Mais Recentes da CNN