Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Três pessoas são presas por fraude em venda de respiradores

    Os mandados foram cumpridos em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal

    Bia Gurgel e Carolina Abelin

    da CNN, em Brasília e em SP

    A Polícia Civil da Bahia cumpriu três mandados de prisão e 15 de busca e apreensão na manhã de hoje (01) contra quadrilha que fraudou a venda de equipamentos hospitalares. Os mandados foram cumpridos em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal. 

    O estabelecimento alvo da ação se apresentava como revendedor de respiradores e foi denunciado pelo Consórcio Nordeste, que tentou adquirir os produtos para auxílio no combate ao novo coronavírus, mas não recebeu a compra. De acordo com as investigações, a empresa tentou negociar de forma fraudulenta com vários setores no país, entre eles Hospitais de Campanha e de Base do Exército, em Brasília.

    Leia também:
    RJ vai estender quarentena por mais uma semana
    Coronavírus ameaça festa de ano novo e carnaval da Bahia, diz governador

    A operação é coordenada pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia, através da Superintendência de Inteligência. De acordo com a polícia, mais de 150 contas bancárias vinculadas ao grupo foram bloqueadas pela Justiça.

    A empresa é investigada por ter vendido 300 respiradores para o Consórcio Nordeste – consórcio de estados nordestinos para compra de equipamentos hospitalares- pelo valor de R$ 48 milhões, mas que nunca foram entregues. 

    A empresa também é alvo de um processo administrativo instaurado pelo governo da Bahia para apurar irregularidades. 

    A empresa teria sede em um edifício comercial na Avenida Faria Lima, na capital paulista. A nossa equipe de reportagem esteve lá, mas no andar onde consta o endereço da empresa há três salas desocupadas.

    Reprodução/CNN (1º.jun.2020)
    Operação Ragnarok prende três pessoas na Bahia
    Foto: Reprodução/CNN (1º.jun.2020)