Trote na UFPR deixa cerca de 20 alunos com queimaduras graves; 4 foram presos

Caso aconteceu no campus de Palotina e quatro veteranos foram presos; universidade promete medidas "rigorosas e imediatas"

Prédio da UFPR em Palotina
Prédio da UFPR em Palotina Divulgação UFPR

Vinícius BernardesFelipe Romeroda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Cerca de vinte alunos calouros da Universidade Federal do Paraná (UFPR) tiveram queimaduras de 1º e 2º graus, após sofrerem um trote violento no campus de Palotina. Quatro veteranos foram presos.

Segundo a Polícia Civil do Paraná, os estudantes foram obrigados a pedir dinheiro no semáforo em frente à universidade e, após isso, os veteranos os encurralaram em um terreno baldio. Os novos alunos teriam sido obrigados a se ajoelhar enquanto os mais velhos jogavam um produto nas costas deles, o que teria ocasionado lesões corporais graves.

No local, foi encontrado um litro de creolina, um produto tóxico para limpeza e desinfecção, segundo informações da polícia. Até o momento, quatro pessoas foram presas em flagrante e vão responder por lesão corporal gravíssima e constrangimento ilegal.

O reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca condenou o trote.

“A instituição está indignada e tomaremos rigorosas e imediatas medidas de apuração de responsabilidades, na medida que temos tolerância zero com relação ao trote violento e todas as demais formas de violência física, verbal ou mesmo simbólica”, disse em nota.

A universidade destacou ainda que adota a “posição institucional do trote sem violência, na conscientização dos alunos de que a recepção aos calouros deve ser um momento de alegria e integração com os veteranos.”

Segundo o comunicado, o “episódio infeliz envolvendo calouros em Palotina é um caso isolado.” A direção do Setor Palotina abriu o processo de apuração de responsabilidade sobre o ataque aos calouros.

A CNN entrou em contato com o hospital que atendeu os alunos, mas não teve retorno sobre o estado de saúde deles.

Mais Recentes da CNN