Conheça as sequelas deixadas por lesões na coluna

Músico Phil Collins, da banda Genesis, anunciou que vai se aposentar da carreira por problemas nas costas

Lucas Rochada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O músico Phil Collins (71), da banda Genesis, anunciou que irá se aposentar por problemas de saúde relacionados à coluna. Collins, que já foi submetido a uma série de cirurgias, realizou sentado o último show no sábado (26), em Londres, na Inglaterra.

No evento, ele surgiu no palco debilitado e de bengala. Os danos aos nervos foram tamanhos que o também baterista nem conseguiu tocá-la no último show. Além disso, a saúde do artista ficou mais frágil nos últimos 15 dias, quando teve uma pancreatite aguda e sofreu uma lesão em uma vértebra do pescoço.

Na edição desta sexta-feira (1º) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou como as lesões na coluna podem deixar sequelas para a saúde.

Eixo central do corpo, a coluna vertebral está envolvida em quase todos os movimentos e funciona como caminho para os nervosos, ligando diversos órgãos e outras partes do corpo ao cérebro.

“A coluna contém dentro dela o sistema nervoso central, depois que sai do crânio ele continua com a medula. A cada forame intervertebral, ou seja, a cada articulação de vértebra por vértebra, raízes nervosas saem e então tem contato com a periferia, levando informação através dos nervos para que os músculos façam a contração, mas também trazendo informação sensorial”, explica Gomes.

Nesse sentido, alterações anatômicas nessa região, incluindo compressões e distorções, podem atrapalhar o fluxo de informações, provocando dores. Para corrigir alterações na estrutura da coluna, pode ser necessário procedimentos cirúrgicos.

“Quando existe uma memorização da dor, começamos a falar de uma dor crônica, independente de existir uma lesão estrutural de verdade, que está machucando e provocando um processo inflamatório agudo, ou algo que o sistema nervoso de uma forma errada acabou aprendendo e a pessoa precisa conviver com esse desconforto”, afirma.

Phil Collins, da banda Genesis, anunciou que irá se aposentar por problemas na coluna / David Wolff – Patrick/Getty Images

O médico ortopedista Pedro Baches explica que os problemas da coluna são muito frequentes e, quando graves, podem ter consequências nocivas. Segundo ele, a dor crônica é dos problemas associados e pode ser de difícil tratamento.

“A coluna pode sofrer basicamente por duas causas, uma delas é a alteração neurodegenerativa, então o desgaste que vai acometendo a coluna e a pessoa começa a ter problemas decorrentes disso, ou pessoas que sofrem algum tipo de acidente na vida com traumas graves e fraturas de coluna”, disse Baches.

Principais problemas na coluna

Diferentes condições podem afetar a coluna vertebral, incluindo lordose, escoliose e a hérnia de disco.

Desvios na coluna estão associados à lordose quando afetam a região da bacia, causando curvatura no local. Já os quadros de escoliose são caracterizados por um desvio da coluna para o lado, levando a uma deformidade, causada principalmente pela má postura. Outro desvio é cifose, mais facilmente percebida pelo arqueamento das costas, tórax retraído e ombros projetados para frente.

A hérnia de disco causa fortes dores, podendo provocar paralisação dos movimentos. A condição também favorecida pela má postura, impacta a parte central do disco, que se localiza entre as vértebras.

A artrose, causada pelo atrito entre as vértebras, pode levar à compressão dos vasos sanguíneos ou nervos, provocando dores.

Medidas de prevenção

A adoção de práticas saudáveis pode contribuir para reduzir os riscos de dores na coluna e doenças relacionadas.

As orientações incluem:

  • dormir deitado de lado com um travesseiro entre a cabeça e o ombro e outro entre as pernas
  • abaixar-se com as pernas flexionadas ao elevar um objeto pesado do chão
  • manter as costas retas ao sentar, encostadas ao encosto da cadeira
  • não carregar mochilas ou sacolas, com o peso de um só lado
  • nas atividades domésticas, evitar trabalhar com o tronco totalmente inclinado
  • ao caminhar, manter as costas retas, abdômen contraído, olhar para a frente

(Com informações do Ministério da Saúde e do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia)

Mais Recentes da CNN