Um caso a cada 9 segundos: estado de SP tem recorde de infecções em janeiro

Em agosto, quando houve um pico de infecções, a marca ficava em um registro a cada onze segundos

Ligia Tuon, da CNN Brasil

Ouvir notícia

O estado de São Paulo terminou janeiro com um recorde de infecções por Covid-19, com 310.727 novos casos.

No mês, um caso foi registrado a cada nove segundos, enquanto que, em agosto, quando houve um pico de infecções, a marca ficava em um registro a cada onze segundos.

A aceleração do ritmo de contágio levou o número de mortos a ter um acréscimo de 6,2 mil no primeiro mês do ano

 

Desde o início da pandemia do novo coronavírus até 31 de janeiro, o estado contabilizava 1.777.368 de infectados e 53.034 mortos pela doença. Desse total, 1.524.085 estão recuperadas, sendo que 179.715 foram internadas e tiveram alta hospitalar, segundo levantamento da Secretaria da Saúde do estado.

A pasta informou ainda que as taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 68,4% na Grande São Paulo e 69% no estado. No momento, há 12.917 pacientes internados. Desses, 6.935 estão em enfermarias e 5.982 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 13h30 deste domingo.

Hoje, os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 618 com um ou mais óbitos.

Sete regiões do estado estão na fase vermelha, a mais rígida do Plano São Paulo, desde o dia 25 de janeiro. São elas: Franca, Barretos, Presidente Prudente, Marília, Bauru, Sorocaba e Taubaté. As demais, inclusive a região da Grande São Paulo, estão na fase laranja.

Movimentação na região central de Campinas  em meio a pandemia da Covid-19
Movimentação na região central de Campinas, no interior de São Paulo, em meio à pandemia da Covid-19
Foto: Luciano Claudino/Código19/Estadão Conteúdo (21.dez.2020)

Mais Recentes da CNN