Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vacina da dengue desenvolvida pelo Butantan possui eficácia de 79,6%, semelhante à que será distribuída pelo SUS

    Estudo divulgado na revista científica New England Journal of Medicine comprovou eficácia em dois anos de testes

    Letícia Cassianoda CNN* São Paulo

    A vacina contra a dengue desenvolvida pelo Instituto Butantan possui eficácia geral de 79,6%, segundo uma pesquisa publicada na revista científica New England Journal of Medicine nesta quarta-feira (31).

    O imunizante Butantan-DV, como é chamado no artigo, foi testado durante três anos e apresentou maior êxito entre pacientes que já foram infectados com a doença.

    “Durante um período de inscrição de 3 anos, 16.235 participantes receberam Butantan-DV (10.259 participantes) ou placebo (5.976 participantes). A eficácia geral da vacina em 2 anos (de análise) foi de 79,6% […] entre participantes sem evidência de exposição prévia à dengue e 89,2% […] entre aqueles com histórico de exposição”, revela o resultado publicado na revista.

    O estudo também apresentou os resultados dos testes em diferentes tipos da doença. A eficácia do imunizante contra o sorotipo 1 (DENV-1), o mais comum no Brasil, foi de 89,5%. Contra o sorotipo 2 (DENV-2), a eficácia foi de 69,6%. Os outros dois tipos existentes no Brasil, DENV-3 e DENV-4 não foram detectados durante o período de acompanhamento.

    A conclusão do estudo mostra que a eficácia da vacina brasileira é semelhante ao do imunizante Qdenga, desenvolvido pelo laboratório japonês Takeda Pharma, que será distribuído pelo SUS a partir de fevereiro.

    A eficácia geral do Qdenga é de 80,2%, com período de proteção de 12 meses após o recebimento das duas doses. Já a vacina do Butantan exige apenas uma dose, e está prometida para entrar no Sistema Único de Saúde em 2025.

    Sob supervisão de André Rigue