Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Veja o que se sabe sobre a morte de Leandro Lo, lutador de jiu-jítsu assassinado em SP

    Lo teve morte cerebral no domingo (7); policial militar Henrique Otávio Oliveira Velozo, acusado de atirar contra o lutador em um show, foi preso no mesmo dia

    Leandro Lo/Instagram/Reprodução

    Da CNN

    A polícia de São Paulo investiga o assassinato do octacampeão mundial de jiu-jítsu Leandro Lo, baleado na cabeça durante um show no final de semana. O lutador teve morte cerebral confirmada no domingo (7).

    Segundo informações policiais, Lo teria se envolvido em uma discussão no Clube Sírio, na zona sul da capital paulista, na noite do último sábado (6). Em seguida, ele teria derrubado o policial militar Henrique Otávio Oliveira Velozo, que o teria provocado. Velozo teria, então, saído do local e retornado atirando.

    Além de efetuar os disparos, o policial ainda teria chutado o atleta duas vezes, quando já estava desacordado no chão, e deixado o local.

    Policial é preso e indiciado

    Henrique Velozo se apresentou à Corregedoria da Polícia Militar no domingo (7), sendo conduzido a uma delegacia para prestar depoimento. Após audiência de custódia nesta segunda-feira (8), a Justiça manteve a prisão temporária de 30 dias. Ele foi encaminhado ao presídio Militar Romão Gomes, em São Paulo.

    Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o PM foi indiciado por homicídio por motivo fútil. O caso segue em investigação no 16° DP, na Vila Clementino.

    Em 2021, Velozo foi condenado a nove meses de prisão em regime aberto após ter se envolvido em um desentendimento em uma casa noturna. O caso aconteceu em 2017.

    Na ocasião, a polícia militar foi acionada, mas ele estava “nervoso e exaltado”. Em determinado momento da abordagem, ele desferiu um soco no braço de um dos agentes e tentou acertá-lo no rosto.

    A CNN tenta contato com a defesa de Velozo.

    Sepultamento e homenagem da mãe

    O corpo de Lo foi sepultado nesta segunda-feira (8) no Cemitério do Morumby, na zonal sul da capital paulista. A pedido da família, como forma de homenagem, diversas pessoas compareceram vestindo quimonos de diferentes cores e academias. Estiveram presentes familiares, amigos e admiradores do lutador.

    Movimentação no velório do Lutador Leandro Lo / Ronaldo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo (08.ago.2022)

    A mãe do atleta prestou uma homenagem nas redes sociais, onde escreveu: “Meu herói, lindo da mãe! Você foi um presente de Deus na minha vida. Vou sentir tua falta, tá faltando um pedaço de mim. Te amo eternamente, filho amado. Guardarei as lembranças boas que foram muitas. Você fazia eu me sentir a mãe mais amada do mundo. Muito obrigado pelo seu amor, seu cuidado. Te amo muito, saudade eterna”.

    Leandro Lo tinha 33 anos de idade e, além dos oito campeonatos mundiais, foi campeão nos torneios sul-americano, Copa Mundial e nos campeonatos pan-americano, brasileiro e europeu.

    A Confederação Brasileira de Jiu-Jítsu prestou condolências à família. “Lo foi um dos maiores atletas que nosso esporte já produziu. Um exemplo de atleta, verdadeiro faixa-preta, artista marcial e campeão dentro e fora dos tatame”, pontuou

    “A influência global, paixão e dedicação de Lo ao Jiu-Jitsu serão para sempre lembradas em nossos corações, e homenageadas pelo grande campeão e pessoa que ele foi.”, complementa o texto.

    Imprensa internacional repercute o caso

    Após a morte do lutador, veículos de imprensa do mundo inteiro abordaram o assunto, como a BBC, do Reino Unido — que o classificou como “um dos mais bem sucedidos atletas da história do jiu-jítsu — e o New York Post, dos Estados Unidos.

    Veja a repercussão completa neste link.

    *Com informações de Giulia Alecrim, Laura Slobodeicov, Maria Augusta Messias, João Pedro Malar, Lucas Schroeder, Marcello Sapio, Carolina Figueiredo e Júlia Vieira, da CNN

    (publicado por Tiago Tortella, da CNN)