Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Veja regiões atingidas por onda de calor a partir de hoje

    Temperaturas devem ficar de 3°C a 5°C acima da média

    Onda de calor: calorão ganha força em grande parte do país a partir de hoje
    Onda de calor: calorão ganha força em grande parte do país a partir de hoje Reprodução/Climatempo

    Duda Cambraiada CNN

    Nesta segunda-feira (11), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta amarelo de perigo potencial para onda de calor para boa parte da região Sul do Brasil, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

    Segundo a Climatempo, as temperaturas devem ficar de 3°C a 5°C acima da média em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, parte da Bahia, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Pará, Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima.

    As temperaturas podem ultrapassar 5°C acima da média no Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e parte de São Paulo.

    A partir do meio da semana, o calor deve ganhar força no Mato Grosso do Sul, oeste do Paraná e de Santa Catarina, além do oeste gaúcho. Por isso, a chuva deve dar uma trégua no Sul e no Sudeste do Brasil durante os próximos dias.

    Na capital paulista, a semana começa com temperatura amena, a máxima pode chegar a 26°C, segundo o Inmet. O Instituto prevê uma tendência de alta na temperatura máxima na capital, podendo chegar a 36°C na sexta-feira (15). Uma diferença de 10°C entre segunda (11) e sexta (15).

    Campo Grande, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, Porto Alegre e Rio de Janeiro são capitais que também têm previsão de tendência de alta na temperatura máxima prevista ao longo da semana.

    A onda de calor é um fenômeno que acontece quando as temperaturas previstas ficam, pelo menos, 3°C acima da média histórica para aquele período do ano. Segundo a Climatempo, o ar quente ganhou força no Chaco Paraguaio, região semiárida do país vizinho, e no norte da Argentina ao longo da última semana.

    Com isso, um sistema de alta pressão nos níveis médios da atmosfera favoreceu a manutenção do ar quente, o que dificulta a formação de nuvens carregadas, mantendo o clima seco e com aquecimento gradual.

    Chegada do outono

    O mês de março marca a transição do verão para o outono no hemisfério sul com o equinócio de outono. Nessa época, os raios solares incidem de forma mais direta sobre a Linha do Equador por conta de uma inclinação no eixo da Terra em relação ao sol. Durante o fenômeno, os hemisférios Norte e Sul recebem a mesma quantidade de radiação solar.

    Isso acontece porque a quantidade de radiação solar recebida em uma determinada área da superfície terrestre é reduzida, por conta da angulação dos raios solares em relação à superfície. A consequência do fenômeno é a diminuição gradual da temperatura, marcando a chegada do outono. Em 2024, o equinócio de outono acontece no dia 20 de março.