Violência ainda é pauta prioritária da população LGBTQIA+, diz ativista

Em entrevista à CNN, o professor de direito da Unifesp Renan Quinalha também afirmou que os avanços dos direitos LGBTQIA+ devem ser celebrados no mês do Orgulho

Produzido por Layane Serrano, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

Em entrevista à CNN, o professor de direito da Unifesp e ativista dos direitos Humanos Renan Quinalha afirmou que o combate à violência ainda é a “pauta prioritária” da população LGBTQIA+. No entanto, o especialista também reforça que o Dia do Orgulho, comemorado nesta segunda-feira (28), deve ser celebrado. 

“É um tanto ambíguo o que estamos vivendo no Brasil de 2021”, disse Quinalha. “De um lado temos muito a celebrar, afinal o país nos últimos 10 anos reconheceu a maior parte dos direitos que são reivindicados pela comunidade LGBTQIA+”, completou.

“Mas temos uma violência ainda muito brutal”, ressaltou o professor de Direito da Unifesp. 

Nesta segunda-feira (28), uma mulher transexual de 33 anos , queimada no centro do Recife na última semana, deixou a intubação no hospital. Ela teve 40% de seu corpo queimado, além do braço esquerdo amputado.

Mês do orgulho LGBTQIA+
Mês do orgulho LGBTQIA+: Pessoas protestam por direitos e celebram suas identidades nas ruas de San Salvador, em El Salvador
Foto: APHOTOGRAFIA/Getty Images

Mais Recentes da CNN