Trem que liga Pará ao Maranhão existe há 36 anos e não é obra do governo Bolsonaro

É enganosa publicação que atribui ao governo federal construção de linha de passageiros que liga os dois estados

do projeto comprova

Do Projeto Comprova

Ouvir notícia

Enganoso: É enganoso tuíte parabenizando o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos) pela operação do Trem de Passageiros que faz linha entre Parauapebas (PA) a São Luís (MA). Há 25 anos, o trecho é de responsabilidade da mineradora Vale S. A.

Conteúdo investigado: Uma publicação no Twitter parabeniza o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), e o ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos) pelo trem de passageiros da Estrada de Ferro Carajás, da Vale, que liga a capital maranhense à cidade de Parauapebas, no Pará. O texto acompanha um vídeo publicado originalmente no TikTok, sem referência ao governo federal, de uma passageira apresentando o funcionamento da linha.

Onde foi publicado: O conteúdo foi publicado no Twitter e circulou no WhatsApp.

Conclusão do Comprova: É enganoso um tuíte que utiliza o vídeo de uma criadora de conteúdo publicado no TikTok para parabenizar o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas por uma obra que não foi realizada pelo atual governo.

As imagens são referentes ao trem de passageiros operado pela mineradora Vale entre Parauapebas, no Pará, e São Luís, no Maranhão. O conteúdo original apresenta o meio de transporte e informações relacionadas à viagem, sem citar o governo federal.

A ferrovia existe há 36 anos e a empresa confirmou que é utilizada não apenas para o transporte de passageiros, mas principalmente para escoar minério de ferro e outros produtos da Serra de Carajás até o porto no litoral maranhense.

A autora do vídeo disse ter comprado a passagem no site da mineradora e garantiu não ter havido intuito político na publicação, afirmando que o sentido foi deturpado pelo usuário que reproduziu o conteúdo no Twitter.

O que diz o autor da publicação: O Comprova não conseguiu contato com o autor da publicação, identificado apenas como ‘Wil’. O perfil não aceita mensagens, não sendo possível contato direto com o autor. Na descrição da página, o usuário afirma ser a terceira conta criada e dá a entender que as anteriores foram suspensas.

Como verificamos: Nas respostas ao tuíte aqui verificado, muitos usuários alertavam que o trem seria da Vale S.A. e não teria relação com o governo federal. No vídeo, também é possível visualizar as cores da comunicação visual da mineradora nos vagões. O Comprova então pesquisou a existência de um trem que fizesse a linha Parauapebas (PA) – São Luís (MA) e identificou a Estrada de Ferro Carajás. Entrou em contato com a Vale e também com a autora do vídeo publicado no TikTok. O Ministério da Infraestrutura foi procurado e não respondeu.

Trem que aparece no vídeo é da Vale

Os vagões que aparecem no vídeo postado no Twitter junto do agradecimento ao presidente Bolsonaro e ao ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas são, na verdade, do trem operado pela mineradora Vale S.A. entre o município de Parauapebas, no sudeste do Pará, e a capital do Maranhão, São Luís.

Procurada pelo Comprova, a Vale S.A. confirmou que as imagens do vídeo são do Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Carajás, em operação há 36 anos. A informação sobre a concessão ser da empresa até 2027 consta na página da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT.

A mineradora também compartilhou material publicado por ocasião dos 35 anos do trem, em março de 2021.

O texto informa que os vagões transportam até 1.500 pessoas na alta temporada e é o que percorre a maior distância entre os pontos de partida e chegada no Brasil, totalizando 861 km, com 15 pontos de parada ao longo de 27 municípios, sendo 24 no Maranhão e 3 no Pará. A viagem tem duração de 16 horas.

A Vale acrescenta que, segundo a ANTT, há apenas duas linhas de trens de passageiros regulares no país. A EFC, interligando o Maranhão ao Pará; e a Estrada de Ferro Vitória a Minas, com 664 km, interligando Minas Gerais ao Espírito Santo. Ambas são operadas pela empresa.

Além de transportar passageiros, a EFC também é utilizada para escoar a produção da mina de ferro que a Vale mantém na Serra de Carajás até o Porto de Ponta da Madeira, em São Luís. Circulam cerca de 35 composições simultaneamente.

A EFC está interligada com outras duas ferrovias: a Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN), que corta sete estados da região Nordeste, e a Ferrovia Norte-Sul, que passa pelos estados de Goiás, Tocantins e Maranhão.

Vídeo não teve motivação política

Procurada pelo Comprova, via Instagram, a autora do vídeo publicado no TikTok informou ter comprado as passagens para a viagem no site da Vale.

Por áudio, disse ter conhecimento de que pessoas estariam usando as imagens a favor de Bolsonaro e negou que o conteúdo tivesse qualquer intenção neste sentido. “Eu nem apoio e nem falo de nenhum político, por questões pessoais, e fico muito chateada vendo as pessoas levando para um outro lado”, lamentou.

Segundo ela, a produção do material foi meramente ilustrativa para compartilhar a experiência de uma viagem de trem. “Antes de morar em Parauapebas eu não sabia como era isso, então quis passar essa experiência”, afirmou.

Por fim, ela reiterou que a postagem não teve cunho político: “Quero dizer que foi apenas com intuito de informação e não tem nada a ver com Bolsonaro”.

Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos suspeitos que tenham viralizado nas redes sociais sobre a pandemia de covid-19, políticas públicas do governo federal e eleições presidenciais. A divulgação de conteúdo enganoso em relação a pré-candidatos – como Bolsonaro e Tarcísio de Freitas – pode levar o eleitor a definir o voto com base em uma desinformação, o que prejudica o processo democrático.

Alcance da publicação: Até o dia 6 de abril, a publicação no Twitter tinha mais de 1.500 interações. Não é possível medir quantos usuários de WhatsApp foram alcançados.

Outras checagens sobre o tema: Recentemente o Comprova verificou outras publicações relacionadas a pré-candidatos, como a fala de Lula sobre negros que foi retirada de contexto e era uma crítica à elite brasileira, o vídeo de protesto contra Lula em show de Marina Sena que era falso e que ponte sobre o Rio das Mortes em Mato Grosso é obra do estado e não do governo federal.

Investigado por Correio de Carajás e imirante.com. Verificado por Metrópoles, CNN Brasil, SBT, SBT News, Estadão, Nexo e O Dia

Mais Recentes da CNN