Bolsonaro participa de ato em Brasília e cumprimenta manifestantes


Rudá Moreira, Mathias Brotero e Natália André, da CNN Brasil em Brasília
15 de março de 2020 às 13:38 | Atualizado 15 de março de 2020 às 20:05
Jair Bolsonaro

Bolsonaro cumprimenta manifestantes e contraria recomendações de prevenção do coronavírus

Foto: Reprodução/Facebook Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) abandonou o monitoramento em que estava após o diagnóstico de novo coronavírus (COVID-19) em quatro membros de sua comitiva que viajou aos EUA, e participou das manifestações pró-governo em Brasília neste domingo (15).

Em um vídeo compartilhado por um canal de apoio ao presidente, Bolsonaro cumprimentou um grupo de manifestantes que se reunia em frente ao Palácio da Alvorada e pegou celulares para tirar fotos — atitudes não recomendadas pelo Ministério da Saúde e pelo próprio Bolsonaro para conter a disseminação da doença.

Ele recebeu livros, bandeiras e falou com muitas crianças, enquanto os manifestantes gritavam: "Foda-se, Maia! Foda-se, Alcolumbre", "Desculpa, presidente, mas eu vim", "Eu vim de graça" e "Mito".

Após cumprimentar manifestantes em frente ao Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro voltou ao Palácio da Alvorada, onde encontrou com cerca de 20 apoiadores. O presidente foi recebido com uma oração. “Vocês me botaram aqui, agora têm que me ajudar a ficar e governar”, disse.

O presidente participou dos atos, que ele diz não ter convocado, mesmo depois de ter pedido à população, em pronunciamento de rádio e TV, que não fosse às manifestações, em virtude da pandemia de novo coronavírus. A doença tem tido um número de casos cada vez maior no Brasil e já contaminou 121 pessoas, de acordo com o Ministério da Saúde.

Bolsonaro estava em monitoramento em Brasília depois de quatro membros de sua comitiva que viajaram com ele para os Estados Unidos foram diagnosticados com o novo coronavírus — o secretário de Comunicação Fabio Wajngarten, a advogada Karina Kufa, o senador Nelson Trad (PSD-MS) e o encarregado de negócios da Embaixada do Brasil em Washington, Nestor Forster.

O presidente disse ter feito um teste para a doença, que, segundo ele, deu negativo. Apesar disso, ele  deve ser testado novamente para o novo coronavírus nesta semana.

Presidente conversa com manifestantes no Alvorada

Bolsonaro faz live conversando com manifestantes pró-governo no Palácio da Alvorada

Foto: Facebook Jair Bolsonaro

 

Passeio de carro pela Esplanada

O comboio presidencial deixou o Palácio da Alvorada pouco depois de meio-dia e seguiu rumo à Esplanada dos Ministérios, onde estavam concentrados a maior parte dos manifestantes. Os carros oficiais, no entanto, permaneceram com os vidros fechados e não pararam. 

O presidente acompanhou, de dentro do veículo, um trecho da carreata em apoio ao seu próprio governo e contra o Congresso Nacional e o STF (Supremo Tribunal Federal). O comboio foi acompanhado, pelo alto, por dois helicópteros.

Manifestantes que estavam no Eixo Monumental, perto do Congresso, no sentido da Torre de TV, puderam ver o comboio passando. O carro de som da carreata avisou que o presidente havia passado pela manifestação, o que causou euforia entre os presentes.

Depois de sair da Esplanada, o comboio presidencial seguiu pelo Eixo Monumental até a altura do Memorial Juscelino Kubitschek e voltou até a altura da Rodoviária do Plano Piloto, onde pegaram uma via alternativa — para fugir do engarrafamento provocado pelo protesto na via S1 da Esplanada dos Ministérios — para chegarem até o Palácio do Planalto.

Bolsonaro subiu no alto da rampa presidencial para saudar os manifestantes que se posicionaram em frente à Praça dos Três Poderes, de onde iniciou uma transmissão ao vivo pelo Facebook.

A assessoria de imprensa da Presidência da República não soube dizer se Jair Bolsonaro passará mais tempo no Palácio do Planalto, nem divulgou maiores detalhes sobre o dia dele. Limitaram-se a responder à CNN Brasil que o presidente está "em agenda pessoal". 

Presidente divulga atos no Twitter

Mais cedo neste domingo, Bolsonaro publicou no Twitter imagens de manifestações pró-governo em várias cidades do país. A primeira postagem foi da manifestação em Belém. Em seguida, foram divulgados posts com imagens de Brasília, Parnaíba (PI), Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, Santarém (PA) e Gaspar (SC).

Alguns manifestantes pedem a saída de Rodrigo Maia da presidência da Câmara e carregam cartazes contra o STF.