Contra coronavírus, Câmara dos Deputados pode ter aplicativo para votação remota

App deve ficar pronto em até duas semanas. Enquanto isso, as votações em plenário devem ser feitas apenas com o presidente, os líderes e um assessor

Da CNN Brasil, em Brasília
17 de março de 2020 às 12:16 | Atualizado 17 de março de 2020 às 16:17
 
 

Técnicos da Câmara dos Deputados trabalham no desenvolvimento de um aplicativo que permita a realização de sessão plenária remota. Os parlamentares poderiam votar e até discursar por meio do dispositivo, à distância. Apenas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ficaria em plenário. 

A medida foi debatida em reunião de líderes na noite de ontem na casa de Maia e faz parte das ações para evitar a disseminação do novo coronavírus entre parlamentares, servidores e visitantes do Congresso. 

Leia também

Contra coronavírus, Senado vai anunciar votação por sistema remoto

A previsão é que o app fique pronto em até duas semanas. Enquanto isso, as votações em plenário devem ser feitas apenas com o presidente, os líderes e um assessor por líder, com duração mínima possível.

A sessão do Congresso, agendada para às 11h desta terça-feira (17), para votar os projetos de lei do Orçamento Impositivo, foi cancelada. Uma reunião de líderes está prevista para as 13h na Câmara. O objetivo é chegar a um consenso sobre projetos prioritários que devem ser votados durante esse período de crise do coronavírus.

A ideia é analisar apenas propostas da saúde, da economia e de proteção social. Entre elas estão a medida provisória que libera R$ 5 bilhões para a saúde e o projeto que amplia o limite do crédito consignado para aposentados do INSS. Na agenda econômica, está o projeto que disciplina a nova lei cambial e investimentos diretos do exterior.