Diretor do Ibama, Olivaldi Azevedo é exonerado após operação contra garimpos


Juliana Lopes e João Vianey, da CNN, em Brasília
14 de abril de 2020 às 14:32 | Atualizado 14 de abril de 2020 às 21:38
Ex-diretor do Ibama, Olivaldi Azevedo

Ex-diretor do Ibama, Olivaldi Azevedo

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (14) a exoneração do diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Olivaldi Azevedo. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (sem partido), assinou a publicação, mas ainda não informou o motivo da saída de Olivaldi.

A medida de afastamento acontece após reportagem feita pelo Fantástico, da TV Globo, no último domingo (12), que mostrou uma megaoperação do Ibama para retirar madeireiros e garimpeiros de terras indígenas no sul do Pará.

Durante a ação, a equipe de fiscalização do Ibama queimou a estrutura e os instrumentos usados pelos garimpeiros.  

A CNN apurou que as imagens de destruição do maquinário não agradaram o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que ordenou a saída do servidor.

No ano passado, em conversas com representantes da Federação Brasileira da Mineração, Bolsonaro chegou a dizer ao grupo que iria trabalhar para impedir a queima dos equipamentos durante ações de fiscalização do Ibama em unidades de conservação. A prática é legal e prerrogativa dos fiscais ambientais.

Para servidores do Ibama que preferiram não se identificar, Olivaldi criava barreiras em instrumentos de fiscalização e atuava no órgão para amenizar conflitos com o setor produtivo. Os relatos ainda dão conta de que o diretor não dava prosseguimento a alguns processos internos e deixou sem resposta questionamentos feitos pelo Ministério Público.

Leia também:

Ministério da Saúde confirma duas novas mortes de indígenas por COVID-19

O governo tem adotado cada vez mais políticas a fim de rever a demarcação de terras indígenas no Brasil. No dia 29 de agosto de 2019, durante transmissão em sua rede social, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que queria legalizar o garimpo.

Segundo a Funai (Fundação Nacional do Índio), já foram concluídos 440 processos de demarcação de terras indígenas no país. Essas áreas correspondem a 12,6% do território nacional e se concentram na Amazônia. O Censo de 2010 do IBGE aponta que há 817,9 mil índios no Brasil.