Bolsonaro diz não ter pressa, e Planalto faz pente-fino em cotados à Saúde

O presidente disse ainda a aliados que o nome de Osmar Terrar 'nunca foi cogitado' para a Saúde

Daniela Lima
Por Daniela Lima, CNN  
16 de abril de 2020 às 11:26 | Atualizado 16 de abril de 2020 às 11:29
Presidente Jair Bolsonaro conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada em Brasília: ele estuda nomes para o cargo de ministro da Saúde (30/03/2020)
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro disse a aliados que não tem pressa em encontrar um substituto para Luiz Henrique Mandetta na Saúde e que vai analisar as opções que estão sob a mesa com cautela. 

Aos interlocutores o presidente não expôs posição radical. Afirmou apenas que quer “um plano” com metas claras de retomada da normalidade no país.

Nomes que foram encaminhamos a Bolsonaro estão sendo submetidos a uma espécie de pente-fino interno. Entrevistas antigas, artigos, posições sobre temas caros ao presidente, como aborto e política de combate às drogas, foram levantados e encaminhados a Bolsonaro.

Assista e leia também:
João Gabbardo, número 2 da Saúde, considera irresponsabilidade deixar ministério
Economia e saúde não são antagônicas, disse Nelson Teich, cotado para Saúde
Quem são os cotados para o Ministério da Saúde 

Pessoas que conversaram com o presidente nos últimos dias dizem que ele não externa mais irritação com as falas públicas de Mandetta. Ao contrário, acha que, com isso, o ministro está dando munição aos críticos e aos que dizem que ele perdeu as condições de compor o time do governo. 

O presidente disse ainda a aliados que o nome de Osmar Terrar “nunca foi cogitado” para a Saúde. E que escuta o ex-ministro, porque ele lhe dá algumas informações técnicas, mas que jamais pensou em nomeá-lo.

Bolsonaro começou a receber cotados para o Ministério da Saúde nesta quinta.