Bancada do PT adota o 'Fora Bolsonaro'

A palavra de ordem, que ainda será submetida à direção nacional do partido, não significa, porém, uma campanha pelo impeachment de Jair Bolsonaro

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
21 de abril de 2020 às 14:32
Gleisi Hoffmann, presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT)
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Em reunião realizada no início da tarde desta terça-feira (21), integrantes da bancada federal do PT e o ex-presidente Lula decidiram adotar o lema "Fora Bolsonaro".

A palavra de ordem, que ainda será submetida à direção nacional do partido, não significa, porém, uma campanha pelo impeachment de Jair Bolsonaro — os petistas e os demais partidos de oposição avaliam que não há condições de se obter o afastamento de um presidente aprovado, segundo o Datafolha, por 36% da população. 

Líder da minoria na Câmara, o deputado José Guimarães (CE) disse se tratar mais de uma estratégia de mobilização. "Não podemos ficar em silêncio. O presidente jurou defender a Constituição, mas governa ao arrepio dela", disse.

Em outra reunião, esta transmitida pela internet, a presidente do partido, deputada Gleisi Hoffmann, reafirmou o "Fora Bolsonaro". Afirmou ser preciso "elevar o tom" contra o presidente.

Na segunda-feira, presidentes de partidos de oposição também se mostraram favoráveis à adoção do lema que pede a saída de Bolsonaro. Isso, também como uma forma de pressão.

O deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) também ressaltou a necessidade de se reforçar a mobilização contra o presidente. Para ele, nos próximos meses o país viverá uma situação semelhante à da Guerra Fria, em que Estados Unidos e União Soviética evitavam um confronto direto por conta da impossibilidade de uma vitória.

"Não temos como retirá-lo da presidência, nem ele tem como fechar o Congresso e o Supremo Tribunal Federal", comparou. Frisou também a necessidade de os poderes Judiciário e Legislativo impedirem o que chamou de excessos de Bolsonaro.