Major Olimpio diz que acordos com Centrão contrariam promessa de Bolsonaro

Políticos ouvidos pela CNN ressaltaram também que, mesmo que consigam cargos no governo, partidos do Centrão não vão romper com Rodrigo Maia

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
22 de abril de 2020 às 20:50
O senador Major Olímpio (PSL-SP)
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil (22.jan.2019)

Líder do PSL no Senado, Major Olimpio (SP) criticou as negociações entre o governo federal e partidos do Centrão que receberiam cargos em troca de apoio ao presidente Jair Bolsonaro no Congresso. Ele ressaltou que Bolsonaro prometera que jamais faria esse tipo de negociação.

“Fica muito ruim para a gente, a população não entende, não diferencia, coloca tudo no mesmo balaio. É ruim para o presidente, para o governo e para o país”, disse Olimpio, aliado de campanha de Bolsonaro. 

Ele chamou partidos envolvidos na negociação – entre eles, Progressistas e PL – de “seleção de ouro”, já que participaram dos governos Fernando Henrique Cardoso, Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer. 

Em partidos como o DEM, as conversas são vistas com desconfiança. Parlamentares desconfiam da intenção de Bolsonaro bancar todos os acordos, até por conta do compromisso assumido com seu eleitorado.

Políticos ouvidos pela CNN ressaltaram também que, mesmo que consigam cargos no governo, partidos do Centrão não vão romper com Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados. Isso, para não perder cargos na estrutura de poder da Casa.

Nesta quinta, 23, o presidente do DEM, ACM Neto, prefeito de Salvador, terá um encontro com o presidente Jair Bolsonaro.