PDT pede impeachment de Jair Bolsonaro

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
22 de abril de 2020 às 18:03 | Atualizado 22 de abril de 2020 às 18:04
O presidente Jair Bolsonaro discursa em Brasília para apoiadores da intervenção militar, do AI-5 e do fechamento do Congresso Nacional (19.abr.2020)
Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo


O PDT decidiu protocolar nesta quarta-feira (22) um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

O documento é assinado pelo presidente do partido, Carlos Lupi, e por Ciro Gomes, candidato à Presidência da República em 2018 e um dos vice-presidentes da agremiação.

Lupi afirmou que o PDT cansou de esperar uma posição unificada de outros partidos de esquerda e preferiu agir sozinho.  Segundo ele, o documento que pede a saída de Bolsonaro lista oito crimes de responsabilidade cometidos pelo presidente, entre eles, seu comportamento na epidemia do novo coronavírus.

"O presidente quebrou as normas da Organização Mundial da Saúde e, com suas saídas, colocou a saúde da população em risco", disse. Lupi citou também a participação de Bolsonaro, domingo, em ato em que manifestantes pediam um golpe militar.

Em post publicado no Twitter, o presidente do PDT  afirmou que Bolsonaro se comportou de maneira irresponsável "em meio à pandemia, estimulando indiretamente a contaminação de milhares de pessoas". Citou também "ataques constantes ao Congresso, Judiciário e à imprensa livre" por parte do presidente. De acordo com ele, o pedido de impeachment cita "as ameaças à democracia feitas pelo atual presidente."

Leia também:

Presidente da OAB se opõe a processo de impeachment durante pandemia