'O pior ainda está por vir', diz Bruno Covas sobre a pandemia

A declaração foi feita na coletiva de imprensa desta quinta-feira, após o governador João Doria anunciar uma queda na taxa de isolamento social na capital

Da CNN, em São Paulo
23 de abril de 2020 às 13:44
Bruno Covas, Prefeito, São Paulo, coronavírus, coletiva de imprensa
Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), durante coletiva de imprensa. São Paulo, 13 de abril de 2020.
Foto: Foto: Governo do Estado de São Paulo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, reforçou, durante entrevista na tarde desta quinta-feira (23), que “o isolamento social é fundamental” na luta contra o novo coronavírus. "O pior ainda está por vir”,  disse se referindo à pandemia. A declaração foi feita na mesma coletiva  em que o governador João Doria anunciou uma queda na taxa de isolamento social na capital paulista, que chegou a 48% nessa quarta-feira (22).

De acordo com a prefeitura, 2 mil novos leitos foram disponibilizados para os hospitais da cidade de São Paulo, para atender a demanda durante a pandemia. Também, segundo o órgão, foram construídos dois hospitais de campanha, localizados no região do Anhembi e do Pacaembu.  Apesar dos reforços, 70% dos leitos da cidade já estão ocupados. 

Como parte do plano de contingência do coronavírus, a prefeitura liberou um crédito complementar de R$40 milhões de reais para o serviço funerário, ampliando também a capacidade 240 para 400 sepultamentos diários. Para isso, 220 coveiros foram contratados.

Em relação ao serviço funerário, também foram disponibilizados mais carros, totalizando 68 veículos. Antes, 36 automóveis atendiam esse tipo de serviço. A prefeitura anunciou, ainda, que 3 mil equipamentos de proteção individual foram distribuídos a funcionários de cemitérios.

Solidariedade aos "irmãos equatorianos"

Na coletiva, foi exibido um vídeo sobre a história da cidade de Guayaquil, do Equador, que registra graves consequências por causa do baixo índice de isolamento durante a pandemia. O vídeo é o ponto central da nova campanha, que foi anunciada nesta quinta (23). 

“A triste história de Guayaquil não pode se repetir aqui”, afirmou Bruno Covas, reforçando o pedido para que as pessoas permaneçam em casa.