Ministérios podem voltar a existir em negociação com o centrão

Além disso, no decorrer do segundo semestre, já estão programadas as nomeações no segundo e terceiro escalão para acomodar as siglas que servirão de base no CN

Tainá Farfan da CNN, em Brasília
06 de maio de 2020 às 09:38 | Atualizado 06 de maio de 2020 às 10:25
Sessão no plenário da Câmara dos Deputados
Sessão no plenário da Câmara dos Deputados
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Na tentativa de reaproximação do governo, há uma articulação com partidos do centrão para dividir o Ministério da Economia em quatro pastas. 

Quatro ministérios podem voltar a existir. Eles seriam distribuídos aos partidos de centro para a manutenção da base de apoio ao governo. A distribuição das pastas, prevista para ter início após o período da crise provocada pela pandemia da Covid-19, deve ficar assim:

Ministério da Fazenda - Ministro Paulo Guedes permanece no comando da pasta
Ministério do Planejamento – O atual secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, assume o comando. Indicação será feita pelo PSDB 
Ministério do Trabalho - Receberá uma indicação do PTB para comandar a pasta
Ministério da Indústria e Comércio Exterior - Receberá uma indicação do REPUBLICANOS

Além disso, no decorrer do segundo semestre, já estão programadas as nomeações no segundo e terceiro escalão para acomodar as siglas que servirão de base de apoio ao governo no Congresso Nacional.