Valeixo diz que Bolsonaro o demitiu por telefone e que queria deixar cargo

Ex-diretor da Polícia Federal começou a depor por volta das 10h sobre as possíveis interferências do presidente

da CNN
11 de maio de 2020 às 17:04 | Atualizado 11 de maio de 2020 às 18:02

 

O ex-diretor da Polícia Federal Maurício Valeixo terminou seu depoimento nesta segunda-feira (11) após mais de seis horas. 

A oitiva começou por volta das 10h na sede da PF em Curitiba. Valeixo afirmou, durante o procedimento, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria lhe dito que queria um diretor-geral com quem tivesse "mais afinidade". O delegado também confirmou que foi demitido por telefone e que não queria permanecer no cargo.

Valeixo é uma das partes da investigação que apura as acusações feitas pelo ex-ministro Sergio Moro a Bolsonaro durante seu anúncio de saída do governo.

Durante o pronunciamento, Moro disse que o presidente teria tentado interferir na corporação, pedindo a substituição de superintendentes e do diretor-geral.

Ainda nesta segunda-feira, serão ouvidos o presidente da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) Alexandre Ramagem e o ex-superintendente da PF no Rio de Janeiro, Ricardo Saadi, em Brasília.