Lula diz nunca ter interferido na Polícia Federal ou no Ministério Público

'Era presidente, mas sabia que o Brasil não era meu', declarou o ex-presidente; Bolsonaro tem sido acusado de interferência na PF pelo ex-ministro Sergio Moro

da CNN, em São Paulo
14 de maio de 2020 às 15:09 | Atualizado 14 de maio de 2020 às 15:16
O ex-presidente Lula
Foto: José Cruz/Agência Brasil (16.abr.2016)

O ex-presidente Lula publicou nesta quinta-feira (14) uma mensagem no Twitter em que diz nunca ter interferido na PF (Polícia Federal), no MP (Ministério Público) ou na CGU (Controladoria-Geral da União) durante seus anos de mandato. "Eu era presidente, mas sabia que o Brasil não era meu", escreveu.

O petista também lembrou do episódio em que a PF cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa de seu irmão, Genival Inácio da Silva, o Vavá, enquanto ainda ocupava a Presidência. "A PF invadiu a casa do meu irmão e não me intrometi, entendi que era irmão do Lula e não do presidente da República", comentou Lula.

A ação fez parte da Operação Xeque-Mate, que investigava uma máfia de caça-níqueis em 2007. A PF chegou a indiciar Vavá e pedir sua prisão, que foi indeferida pela Justiça na época.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, Lula também trocou o comando da PF e da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) em 2007 para ter mais informações sobre operações. O presidente estaria contrariado de saber das ações da corporação pela imprensa, segundo a reportagem.

O ex-presidente, no entanto, nunca foi acusado de interferência.

Moro e Bolsonaro

A publicação de Lula vem na esteira do inquérito da PGR (Procuradoria-Geral da República) que investiga as afirmações do ex-ministro Sergio Moro em seu pronunciamento de despedida do cargo.

Moro declarou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria tentado intervir no trabalho da Polícia Federal para obter informações sobre investigações que correm em sigilo.

Na manhã desta segunda-feira, Lula foi entrevistado pela rádio manaurara Tiradentes. Durante a conversa, comentou sobre o embate do presidente com o ex-juiz. Para ele, Moro fala a verdade em depoimento, mas também está errado por não ter denunciado na época em que os eventos aconteceram. "Bolsonaro e Moro estão errados, o Brasil não merece o que está acontecendo agora", afirmou.

Impeachment

Lula também opinou no Twitter que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) deveria colocar uma das "dezenas de pedidos de impeachment" contra Bolsonaro em votação. "O Bolsonaro trata esse país como se fosse a casa dele", escreveu.