Paulo Marinho foi proibido de sair da PF com cópia do depoimento

Segundo informações, o desafio é não vazar a investigação que já apura um vazamento

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
21 de maio de 2020 às 07:24

Em depoimento à Polícia Federal, o empresário Paulo Marinho não teria falado sobre eleições e foi proibido de sair do depoimento com uma cópia. Segundo informações, o desafio é não vazar a investigação que já apura um vazamento.

Após mais de cinco horas, Marinho encerrou na noite de quarta-feira (20) seu depoimento à PF no Rio de Janeiro. Ao deixar o prédio, ele disse à imprensa que não poderia dar nenhuma declaração sobre a audiência, tanto por determinação das autoridades judiciais, quanto para não prejudicar as investigações. O inquérito corre em sigilo.

Leia também:
Centrão pede troca de líder do governo na Câmara

O empresário foi chamado a depor após dizer em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo que o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) teria sido avisado da Operação Furna da Onça com antecedência.

O Ministério Publico Federal do Rio de Janeiro também vai ouvir Marinho nesta quinta-feira (21).

Paulo Marinho presta depoimento à Polícia Federal no Rio de Janeiro
Foto: Saulo Angelo/Futura Press/Estadão Conteúdo (20.mai.2020)