PF vai ao Planalto e recolhe câmera usada para gravar reunião ministerial

Objetivo é verificar se houve algum tipo de edição no vídeo entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF)

Reuters
25 de maio de 2020 às 22:53 | Atualizado 25 de maio de 2020 às 23:05
Reunião ministerial em 22 de abril, no Palácio do Planalto.
Foto: Marcos Corrêa/PR

A Polícia Federal (PF) esteve no Palácio do Planalto nesta segunda-feira (25) e recolheu a câmera usada pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República para fazer a gravação da reunião ministerial de 22 de abril, com o objetivo de verificar se houve algum tipo de edição no vídeo entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF), informou à Reuters uma fonte da corporação com conhecimento da diligência.

O encontro ministerial é apontado pela defesa do ex-ministro da Justiça Sergio Moro como uma das principais provas de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tentou interferir em trocas no comando da PF, em caso que está sob investigação em inquérito no Supremo. Bolsonaro nega qualquer tipo de interferência.

Leia também:

Bolsonaro diz acreditar em arquivamento de inquérito sobre interferência na PF

'Bolsonaro nunca apoiou a Lava Jato e enganou Sergio Moro', diz ex-procurador

Celso de Mello alerta ministros do STF sobre fala de Weintraub em reunião

A disponibilização dos equipamentos de filmagem havia sido determinada em ofício do ministro Celso de Mello, do Supremo. Segundo a fonte, não houve busca e apreensão e a entrega da câmera ocorreu nesta segunda e já estava combinada entre a Polícia Federal e o Palácio do Planalto.

Procurada, a Secretaria de Comunicação Social não se manifestou de imediato sobre a diligência.