Embaixador da Ucrânia explica bandeira usada em manifestação na Paulista


Paulo Toledo Piza, da CNN, em São Paulo
31 de maio de 2020 às 17:53 | Atualizado 31 de maio de 2020 às 17:59

 

O embaixador da Ucrânia no Brasil, Rostyslav Tronenko, disse que a bandeira usada por manifestantes no protesto na Avenida Paulista, em São Paulo, não é nazista nem fascista, como circula nas redes sociais. O uso do símbolo por alguns manifestantes foi citado como possível causa para o início da confusão que terminou em confronto entre manifestantes e policiais militares na tarde deste domingo (31).

“Essa bandeira rubro-negra é uma bandeira histórica que significa a terra fértil da Ucrânia, com a faixa negra, e [a vermelha] o sangue que ucranianos durante séculos derramaram na luta pela nossa soberania, liberdade e independência", disse.

O tridente, segundo o embaixador, "é símbolo do príncipe Vladimir, do século 10, que trouxe o cristianismo à Ucrânia e esse tridente significa a santíssima trindade", disse.

Bandeira ucraniana usada em manifestação na Avenida Paulista

Bandeira ucraniana usada em manifestação na Avenida Paulista

Foto: Reprodução / CNN


"Eu gostaria de lembrar que no ano de 2015, o Parlamento da Ucrânia aprovou a lei que proíbe o uso de símbolos tanto nacional-socialistas, nazistas, como símbolos comunistas”, disse. “Essa lei tem a lista das bandeiras, símbolos etc de duas ideologias que são proibidas. Essa bandeira rubro-negra não está nessa lista, mais uma vez, é uma bandeira histórica", completou.

“Se alguns partidos, tanto na Ucrânia quanto em outros lugares do mundo, usam essa bandeira, já é outro contexto”, disse.

O embaixador da Ucrânia Rostyslav Tronenko

O embaixador da Ucrânia Rostyslav Tronenko explica bandeira usada em manifestação na Avenida Paulista

Foto: Reprodução / CNN