Governo acerta nova leva de cargos para o Centrão; Telebrás e Conab na lista


Bárbara Baião e Renata Agostini Da CNN, em Brasília
09 de junho de 2020 às 22:05 | Atualizado 10 de junho de 2020 às 07:25

Depois de ceder o comando de órgãos com orçamento bilionário como o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e a Funasa para os partidos do chamado centrão, o governo se prepara para entregar as chaves de mais uma leva de importantes órgãos ao bloco formado por PSD, Republicanos, Progressistas e PL. 

A secretaria de política agrícola do Ministério da Agricultura vai para um indicado do Republicanos, que ainda vai apontar o novo presidente da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), também vinculada à Agricultura. 

O PL, de Valdemar Costa Neto, vai ganhar a secretaria de infraestrutura turística do Ministério do Turismo e uma diretoria da Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos. A presidência da Telebrás vai para o PSD, de Gilberto Kassab.

Leia e assista também

Governo nomeia indicado pelo 'centrão' para fundo bilionário do MEC

Após negociar cargos com centrão, governo articula pauta de votações até junho

Centrão mira orçamento de R$ 78,1 bi com cargos loteados em governo Bolsonaro

Centrão consegue 3 novos cargos em instituto ligado à Casa Civil

Os partidos esperam que as nomeações da lista saiam até a semana que vem e reclamam que há demora na publicação. Integrantes do governo dizem que esse mapa está fechado, mas que todos os nomes passam pela análise de currículos e há um prazo de até 15 dias para que as nomeações sejam publicadas após a aprovação.

Uma fonte do governo envolvida nas tratativas afirmou à CNN que a nomeação de um indicado do PL para a presidência do Banco do Nordeste vai se concretizar, mas deve demorar mais um pouco. Na semana passada, o governo exonerou Alexandre Cabral do cargo um dia após tomar posse. A escolha não havia sido patrocinada pela sigla de Valdemar Costa Neto e foi cancelada. 

Essa nova leva de cargos é vista como essencial para selar de vez a adesão das siglas à base do governo. Nos últimos dias, saíram nomeações do PP na CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos) e do PSD no ITI (Instituto Nacional de Tecnologia da Informação).

Esses partidos já têm indicados em secretarias no Ministério da Saúde e do Desenvolvimento Regional, no comando do Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas), da Funasa e do FNDE.