Bolsonaro se irrita com ida de Weintraub a protestos


Igor Gadelha
Por Igor Gadelha, CNN  
14 de junho de 2020 às 20:49 | Atualizado 14 de junho de 2020 às 21:05
Ministro da Educação, Abraham Weintraub, se reúne com manifestantes

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, se reúne com manifestantes bolsonaristas que furaram o bloqueio na Esplanada dos Ministérios

Foto: Reprodução/ Movimento Avança Brasil/ Facebook

O presidente Jair Bolsonaro ficou “muito irritado” com a ida do ministro da Educação, Abraham Weintraub, à manifestação favorável governo neste domingo (14), em Brasília, disseram à CNN auxiliares presidenciais. A avaliação foi de que o titular do MEC deu motivo para que seus opositores aumentem a pressão pela sua demissão. 

Em conversas com os manifestantes bolsonaristas, Weintraub reiterou ofensas a ministros do Supremo Tribunal Federal, os quais já havia chamado de “vagabundos” na fatídica reunião ministerial de 22 de abril. Segundo um auxiliar, o presidente avalia que, com o ato deste domingo, o ministro acabou dando razão para as críticas da corte contra ele.

Leia e assista também

Weintraub se encontra com manifestantes na Esplanada dos Ministérios

“O STF estava sem razão de reclamar de uma fala numa reunião que o (ministro) Celso de Mello expôs. Todo mundo (no Planalto) enxergava isso. Agora o Abraham foi lá e deu razão para o STF”, avaliou à CNN esse auxiliar presidencial. “Podia ter ido para manifestação, mas reiterar a ofensa aos ministros do STF?”, emendou a fonte.

O presidente tem um encontro marcado com o ministro da Educação  às 16 horas desta segunda-feira (15), no Planalto. A reunião, porém, já estava marcada desde a última sexta-feira (12), ou seja, antes de o titular do MEC comparecer aos protestos.