Planalto vê falta de sintonia de Weintraub, e Bolsonaro entrevista substitutos

À CNN, um auxiliar direto de Bolsonaro avaliou que, enquanto o presidente vem agindo para “proteger” e tirar o ministro do campo de ataque

Por Igor Gadelha, CNN  
16 de junho de 2020 às 13:56
Ministro da Educação, Abraham Weintraub, na reunião ministerial em 22 de abril, no Palácio do Planalto.
Foto: Marcos Corrêa/PR

A situação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, no governo está cada vez mais complicada. Integrantes do Palácio do Planalto veem uma falta de sintonia do titular do MEC com o presidente Jair Bolsonaro, que já começou a conversar com possíveis substitutos para o cargo.

Leia também:
Liberais e olavistas de governo disputam escolha de novo ministro da Educação
'Não sei meu futuro, está difícil prever', diz Weintraub

À CNN, um auxiliar direto de Bolsonaro avaliou que, enquanto o presidente vem agindo para “proteger” e tirar o ministro do campo de ataque, buscando uma “saída honrosa”, Weintraub estaria agindo para obter ganhos políticos com a crise envolvendo seu nome.

Nesse cenário -- e com a pressão cada vez maior do Supremo Tribunal Federal pela demissão do ministro --, o presidente já começou a conversar com possíveis substitutos para o MEC. Como a coluna noticiou ontem (15), Bolsonaro quer alguém que agrade à militância, como Weintraub.

Alguns auxiliares presidenciais apostam que o ministro deve deixar o cargo ainda nesta semana. Bolsonaro avalia três opções para nomear Weintraub: um posto diplomático, um cargo de assessor especial no Planalto ou como número 2 de Onyx Lorenzoni no Ministério da Cidadania.