Caseiro afirma que Queiroz estava há poucos dias em escritório de Wassef


Da CNN
18 de junho de 2020 às 10:09 | Atualizado 18 de junho de 2020 às 11:19

Caseiro do imóvel onde Fabrício Queiroz foi encontrado e preso na manhã desta quinta-feira (18), Orlando Novaes disse à CNN, nesta quinta-feira (18), que o local funcionava como um consultório de advogacia e afirmou que não tinha convivência com o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

"É um consultório de advogacia mesmo, entendeu? Mas o rapaz estava ficando aqui para o tratamento de saúde, ele está com câncer e essas coisas", declarou. 

"[Não estava] convivendo, não. Tem poucos dias que está aí, vi ele entrando [e tem] uns quatro dias que não vem aí com negócio de saúde", acrescentou ele.

No muro da casa, em Atibaia, no interior de São Paulo, uma placa diz: "Wassef e Sonnenburg - Sociedade de Advogados". O primeiro sobrenome faz referência ao advogado Frederick Wassef, que representa Flávio Bolsonaro.

Leia também:

Queiroz reclamou da saúde, mas não resistiu à prisão, diz delegado
Fabrício Queiroz é preso no interior de São Paulo
Operação para prender Queiroz teve precaução extra para evitar vazamentos

À CNN, o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, que foi o responsável pelo cumprimento do mandado de prisão em São Paulo, afirmou que a residência é uma casa grande, mas que Queiroz "estava em um quartinho com os pertences, incluindo dois celulares dele". "No fundo, tinha uma guarita onde estava um casal de caseiros" completou.

O delegado ainda detalhou que Queiroz disse ter tomado remédio para dormir e demorou a atender a campainha, mas que não ofereceu resistência à prisão. "Ele só falou que tem problema de saúde. Não houve nenhum contratempo", afirmou o delegado. "A reação dele foi tranquila. Ele permaneceu calado, mas falou que não precisava disso, que se chamasse ele iria", acrescentou.

Fachada da residência em Atibaia, onde o ex-assessor Fabrício Queiroz foi locali

Fachada da residência em Atibaia, onde o ex-assessor Fabrício Queiroz foi localizado e preso

Foto: CNN (17.jun.2020)

A prisão

Queiroz foi preso em Atibaia, no interior de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (18). Ele foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) na capital paulista para fazer exames, antes de se dirigir à sede da Polícia Civil em São Paulo, de onde será encaminhado para o Rio de Janeiro.

A prisão faz parte de uma ação conjunta entre o Ministério Público do Rio de Janeiro e o Ministério Público de São Paulo, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) dos dois estados.

Fabrício Queiroz foi assessor e motorista de Flávio Bolsonaro até outubro de 2018, um mês antes do início da operação que apura esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e loteamento de cargos públicos na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), na qual é investigado. 

A mulher dele, Márcia Oliveira de Aguiar, é considerada foragida.

(Edição: Sinara Peixoto)