Polícia faz buscas em endereços de parentes de Queiroz em Belo Horizonte

Um dos imóveis fica no bairro de São Bernardo, na região norte da capital mineira, e é da madrinha da mulher de Fabrício Queiroz

Giovana Bronze, Carlos Amaral e Daiana Fernandes, da CNN, em São Paulo, e Caroline Louise, da CNN, em Belo Horizonte
23 de junho de 2020 às 07:52 | Atualizado 23 de junho de 2020 às 13:44

Equipes do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Minas Gerais, em apoio ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), fizeram buscas em quatro endereços ligados a parentes de Fabrício Queiroz, na manhã desta terça-feira (23), em Belo Horizonte.

Um dos imóveis fica no bairro de São Bernardo, na região norte da capital mineira, e é da madrinha de Márcia Oliveira de Aguiar, a mulher de Queiroz, que está foragida desde a semana passada. No endereço em questão, moram uma prima e uma sobrinha próximas da família de Queiroz. A madrinha morreu este mês.

Investigadores obtiveram informações de que Márcia estaria no local ou teria passado por ali. Ela está na lista de fugitivos da Interpol e pode ser presa em mais de 190 países. Em uma troca de mensagens com Queiroz, Márcia disse que sairia do Rio de Janeiro se tivesse prisão decretada.

Um outro imóvel alvo da ação é de uma prima de Márcia. No local, os policiais e promotores do Ministério Público conversaram com ela e seu marido.

Casa da madrinha da mulher de Queiroz, onde Polícia Militar cumpre mandados de busca e apreensão
Foto: Carol Louise - 23.jun.2020 / CNN

Segundo informações do porta-voz da Polícia Militar, Major Santiago, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, e nenhum de prisão. Operação começou por volta de 4h. 

De acordo com testemunhas, não houve tentativa por parte dos familiares da mulher de Queiroz para evitar a operação. A recepção foi tranquila, mas eles disseram que não queriam falar com a imprensa.

Assista e leia também:

Para criminalista, Wassef não é obrigado a avisar Flávio Bolsonaro sobre Queiroz

Caso Queiroz atrapalha Bolsonaro desde começo do mandato, avalia Tarso Genro

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) disse, em sua conta no Twitter, que apoia a operação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).

Em nota, o MPRJ informou que a ação desta terça é a segunda etapa da Operação Anjo, que prendeu Queiroz na semana passada.

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, Queiroz está preso desde quinta-feira (18). Ele foi localizado em um imóvel do advogado do senador em Atibaia, no interior de São Paulo.

Fabrício Queiroz, de 55 anos, é investigado no inquérito que apura um esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e loteamento de cargos públicos na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Agentes da PM cumprem mandados de busca e apreensão em endereço ligado a Queiroz
Foto: Reprodução - 23.jun.2020 / CNN