Hackers alvo de operação da PF são suspeitos de acessar exames de Bolsonaro

Com acesso à base de dados, em maio, o grupo teria vazado na internet o resultado de outros exames de Bolsonaro que encontrou no sistema.

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
26 de junho de 2020 às 10:51 | Atualizado 26 de junho de 2020 às 14:55

O grupo de hackers alvo de operação da Polícia Federal, nesta manhã, é suspeito de invadir o sistema de dados do Exército para ter acesso a informações de exames de Covid-19 do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Após viagem aos Estados Unidos, Bolsonaro realizou exames no Hospital das Forças Armadas (HFA), que deram negativo para coronavírus.

Com acesso à base de dados, em maio, o grupo teria vazado na internet o resultado de outros exames de Bolsonaro que encontrou no sistema. Na ocasião, quatro exames supostamente realizados pelo presidente entre junho de 2019 e janeiro de 2020 foram parar na rede.

Há dois menores entre os alvos. Eles não foram apreendidos e também não houve registro de prisões. Mas objetos, como computadores, foram recolhidos.

Eles são suspeitos de várias invasões, como a dados de prefeituras do interior do Rio Grande do Sul, do governo do Paraná e também à base de informações da USP, em São Paulo.

Essa é uma etapa da investigação, que busca outros alvos e também dimensionar até onde o grupo atuou.
Haverá coletiva de imprensa da PF do Rio Grande do Sul, que comanda a investigação.Jair Bolsonaro, teste, exame

Primeiro exame feito por Jair Bolsonaro, em 12 de março
Foto: Reprodução