Ilona e Sant’ana são os favoritos para Educação; indicação pode ser dupla

Daniel Adjuto
Por Daniel Adjuto, CNN  
04 de julho de 2020 às 19:49 | Atualizado 04 de julho de 2020 às 22:39
O presidente Jair Bolsonaro pode anunciar na segunda-feira os nomes de Ilona Becskeházy e Sérgio Sant’ana para o comando do ministério da Educação. 

lona deve ficar com o cargo de ministra e Sérgio, de secretário-executivo. Os dois são nomes da ala ideológica do governo, mas já estiveram no quadro do ministério. Sant’ana foi assessor especial de Abraham Weitraub e Becskeházy é atual secretária de Educação Básica. 

Leia também:

Bolsonaro cancela encontro com Feder; reitor de SC entra na lista de cotados

Bolsonaro diz que Feder está fora e retoma busca por novo ministro da Educação

A secretária é doutora em política educacional e reconhecida no setor por seus mais de 20 anos dedicados à área. Ela, no entanto, foi diretora-executiva da Fundação Lemann entre 2001 e 2011, o que desperta desconfiança de parte do governo. O grupo foi criticado diversas vezes pelo ex-ministro Abraham Weintraub.

Ilona é atuante nas redes sociais e defende, principalmente, políticas de alfabetização capitaneadas pelo secretário Carlos Nadalim. Conservadora, ela é contrária à aplicação da ideologia de gênero em sala de aula. 

Sérgio Sant’ana, além de ter trabalhado com Weintraub, é próximo à família Bolsonaro e a Nadalim. Nas redes sociais, tem foto ao lado do deputado Eduardo Bolsonaro. "O gabinete do ódio em um luxuoso almoço!", escreveu o possível número dois da Educação.

Segundo três fontes ouvidas pela coluna, a ordem é a de silêncio total até o anúncio. Sant’ana, desde sexta-feira, não atende a ligações ou responde às mensagens sequer de pessoas próximas.