Mourão cobra retratação de Gilmar Mendes e pede 'grandeza moral'


Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
14 de julho de 2020 às 11:12 | Atualizado 14 de julho de 2020 às 11:28

O vice presidente, Hamilton Mourão, cobrou nesta terça-feira (14) um pedido de desculpas do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, que vinculou as Forças Armadas à prática de genocídio, em virtude das mais de 70 mil mortes provocadas pela pandemia.

"Se tiver grandeza moral ele tem que se retratar. Eu não vi interferência (do ministro), vi o cidadão Gilmar Mendes fazer uma crítica fora de propósito", disse Mourão, em entrevista exclusiva para a CNN.

Leia mais:
STF busca distensão com militares
Gilmar Mendes: militares na Saúde 'extrapolam missão institucional'
Gilmar não recuará de crítica ao Exército e vê 'jogo de cena' em nota da Defesa

Mourão ressaltou que genocídio é característica de regimes ditatoriais, como os do soviético Josef Stalin e o alemão Adolf Hittler.

Para o vice-presidente, não é hora de mudar o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que atua como interino desde maio como interino da pasta.

As declarações de Gilmar Mendes causaram incômodo no governo porque também há avaliações internas de que já passou da hora da pasta passar a ser guiada por um titular. Vários nomes para sucedê-lo voltaram a circular no Planalto, como o da oncologista Nise Yamaguchi.

Interlocutores apontam a lealdade da médica ao governo e a defesa pelo uso da hidroxicloroquina como atributos. Para Mourão, a troca deveria ocorrer após um arrefecimento dos casos de coronavírus no país.

Leia mais:
Albert Einstein suspende médica Nise Yamaguchi após fala sobre holocausto
Após suspensão do Albert Einstein, Nise Yamaguchi nega antissemitismo