Governo tenta adiar votação do Fundeb para quarta-feira 

Ministro da Secretaria de governo Luis Eduardo Ramos esteve reunido nesta manhã com líderes de governo e pediu esforço nesta pauta

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
20 de julho de 2020 às 12:03 | Atualizado 20 de julho de 2020 às 12:20
O ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O governo tenta adiar para quarta-feira (22) a votação sobre o novo Fundo da Educação Básica (Fundeb), o que estava marcado para hoje. É desse fundo que saem R$ 4 a cada R$ 10 gastos pela rede pública de ensino, com salário de professores, pagamento de merenda e transporte escolar, por exemplo. O ministro da Secretaria de governo Luis Eduardo Ramos esteve reunido nesta manhã com líderes de governo e pediu esforço nesta pauta.

Leia mais:
Ex-secretários de Educação criticam contraproposta do governo para Fundeb
Deputados divergem sobre proposta para renovação do Fundeb

A União quer limitar o que vai para o pagamento de pessoal. O texto em discussão diz para que pelo menos 70% dos recursos seja usado para valorizar os profissionais da Educação, mas o governo quer abaixo disso.

A participação do governo federal quanto a tudo que entra no fundo também mudaria. Pode dobrar de 10% para 20% mas a proposta da União é fazer uma mescla com parte disso, exatos 5% que não iriam para educação mas para assistência social. Críticos dessa ideia apontam para uma redução do que iria para Educação e que o governo teve muito tempo para se posicionar, tendo feito somente agora às vésperas da votação.

Depois da reunião com Ramos, os líderes de governo foram para um encontro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e as outras lideranças. 

De acordo com um interlocutor de Maia, ele não pretende "forçar a mão", e pode concordar com o adiamento da votação mas desde que não passe dessa semana.