Centrão de Lira se reúne para discutir reação à saída de DEM e MDB do blocão

Uma das reações discutidas foi pressionar Rodrigo Maia pela troca do deputado Aguinaldo Ribeiro da liderança da maioria na Casa

Por Igor Gadelha, CNN  
29 de julho de 2020 às 09:26 | Atualizado 29 de julho de 2020 às 12:23

Líderes do Centrão na Câmara dos Deputados se reuniram na tarde desta terça-feira (28) para discutir uma reação à saída do DEM e do MDB do blocão comandado pelo líder do PP na Casa, deputado Arthur Lira (AL).

O encontro aconteceu na sede da presidência do PL, em um edifício comercial de Brasília, e reuniu líderes de 10 partidos do bloco, entre eles, o próprio Lira e o líder do PL, Wellington Roberto (PB).

Segundo apurou a CNN, uma das reações discutidas foi pressionar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pela saída do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) da liderança da maioria na Casa.  

O argumento do grupo será de que eles “não se sentem representados” por Aguinaldo. Embora seja do PP, mesma sigla de Lira, Aguinaldo é mais alinhado a Maia, a quem cabe oficialmente a nomeação do líder da maioria, e é pré-candidato a presidente da Câmara em 2021.

Como vem mostrando a CNN, a saída de DEM e MDB foi vista como uma tentativa do presidente da Câmara de enfraquecer Lira. Isso porque, com a saída das duas siglas, o blocão cairá de 221 para 158 deputados. 

O Palácio do Planalto recebeu o racha com preocupação. Isso porque Lira vinha atuando como líder informal do governo na Câmara e era a aposta do Executivo para suceder Maia no comando da Casa em 2021. 

Além de Lira e Roberto, participaram da reunião os líderes do PSD, Republicanos, Solidariedade, Avante, Patriota, PSC, PTB e PROS, alguns a distância, por videoconferência. 

Embora tenham participado do encontro, PSC, PTB e PROS devem formar um novo bloco na Câmara com o PSL. O grupo, porém, já deixou claro que deverá atuar de forma alinhada a Lira.

Líderes do Centrão se reuniram nessa terça-feira (28)
Foto: Arquivo pessoal / PL