No RS, Bolsonaro visita escola militar, elogia Médici e inaugura condomínio


Da CNN, em São Paulo
31 de julho de 2020 às 15:25 | Atualizado 31 de julho de 2020 às 16:40

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) visita o município gaúcho de Bagé, na fronteira com o Uruguai, nesta sexta-feira (31). Nesta manhã, ele visitou uma escola cívico-militar, inaugurou um condomínio do Minha Casa, Minha Vida, fez elogios a Emílio Médici -- o terceiro presidente da ditadura militar -- e ergueu uma caixa de cloroquina para um grupo de apoiadores. 

Próximo da escola cívico-militar, o presidente gerou aglomeração de pessoas. Muitas delas estavam sem máscaras de proteção ou com o item pendurado no queixo.

Leia também:

Bolsonaro vai à Bahia e ao Piauí em primeira viagem após isolamento por Covid-19

Bagé tem um decreto que determina o uso obrigatório de máscara em ambientes públicos, com multa de R$ 150 para quem descumpri-lo.

O governador Eduardo Leite (PSDB) foi diagnosticado com a Covid-19 e está em quarentena. Quem acompanha a comitiva presidencial é o vice, Ranolfo Vieira Júnior (PTB). 

Elogio a Médici

Na visita a Bagé, Bolsonaro aproveitou para elogiar Emílio Médici e seu combate aos militantes contrários ao governo, e repetiu que o Brasil não quer se transformar na Venezuela, como estaria fazendo "outro país" -- uma possível alusão à Argentina.

"E é daqui o Médici também. O homem que pegou o Brasil em um dos momentos mais difíceis, quando alguns lutavam para tomar o poder a qualquer preço. Não conseguiram, vencemos aquela etapa", disse, elogiando o general que comandou um dos períodos mais repressores da ditadura militar no Brasil e que nasceu em Bagé.

Bolsonaro disse ainda não acreditar que o país possa voltar a momentos como os da ditadura militar porque onde "eles tiveram sucesso o povo perdeu", referindo-se aos militantes de esquerda.

"Não podemos esquecer o que aconteceu porque não queremos nos transformar no que a nossa Venezuela é e que parece que outro país está indo para o mesmo caminho", disse, sem citar a Argentina, a quem diz frequentemente que está no caminho de se tornar uma Venezuela desde a eleição à Presidência do país de Alberto Fernández, que formou com a ex-presidente Cristina Kirchner uma chapa de esquerda que saiu vitoriosa no ano passado.

Viagens

Na entrega de moradias do programa Minha Casa, Minha Vida em Bagé, Jair Bolsonaro disse que sempre falou que não é para deixar obra parada e que "pelo menos uma vez por semana" vai sair de Brasília para viajar.

"O que eu sempre falei com meu ministro, o Marinho, é não deixar obra parada. Temos problemas de orçamento, temos, estamos tentando arranjar recursos para que as obras sejam concluídas", disse.

Bolsonaro participou do ato de inauguração do conjunto habitacional, no segundo dia consecutivo de viagem a estados que realiza desde que anunciou no sábado passado resultado negativo para o novo coronavírus, após ter contraído a doença no início do mês.

Essa é a segunda viagem de Bolsonaro após se curar da infecção pelo novo coronavírus. Na quinta-feira (30), ele foi à Bahia e ao Piauí.

Bolsonaro encerrou a entrevista ao ser questionado por uma repórter sobre a opinião dele a respeito da recriação de um tributo similar à antiga CPMF.

(Com informações da Reuters. Edição: Bernardo Barbosa e Leonardo Lellis)