Projeto da quarentena ‘mira’ Moro, diz Dallagnol


Igor Gadelha
Por Igor Gadelha, CNN  
31 de julho de 2020 às 10:14
 

Coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol avaliou à CNN que o projeto prevendo quarentena para magistrados e membros do Ministério Público disputarem eleições “mira” o ex-ministro Sergio Moro.

“Ele mira Moro, ainda que atinja a todos nós”, afirmou Dallagnol à coluna, em referência ao ex-juiz, que atuou na Lava Jato em Curitiba antes de assumir por 16 meses o ministério da Justiça e Segurança Pública no governo Jair Bolsonaro e que é apontado como provável candidato à Presidência em 2022.

O procurador ponderou, contudo, que não está acompanhando a fundo a discussão, porque tem outros “incêndios maiores” para resolver, em referência aos ataques que a Lava Jato vem sofrendo por parte de setores do Legislativo e da Procuradoria-Geral da República.

Assista e leia também:
Maia nega 'quarentena' a Moro: 'Lei não prejudica quem já entrou na política'
Toffoli defende 'quarentena' de oito anos para juízes poderem disputar eleições

De autoria do deputado federal Fábio Trad (PSD-MS), o projeto em discussão no Congresso prevê quarentena de seis anos não só para magistrados e membros do MP, como para policiais civis e federais e até integrantes das Forças Armadas.

No Judiciário e Legislativo em Brasília, porém, já há quem defenda reduzir o alcance da proposta, excluindo, por exemplo, os militares. A avaliação é de que incluir muitas categorias fará com que projeto tenha muitos adversários, o que dificulta sua aprovação.