Governo e Congresso retomam debate por pacto federativo para remanejar Orçamento


Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
12 de agosto de 2020 às 22:27

 

Em reunião no Palácio da Alvorada, nesta quarta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro e a cúpula do Congresso fecharam o entendimento de que a saída para abrir espaço no Orçamento sem furar o teto de gastos é a retomada do debate sobre o pacto federativo e da agenda das privatizações.  

De acordo com relatos feitos à CNN, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), se comprometeu a pautar a proposta que, em suma, vai determinar nova divisão de recursos entre União, estados e municípios, e também avançar na discussão sobre a privatização dos Correios.

Leia também:

'Respeitamos o teto de gastos e queremos responsabilidade fiscal', diz Bolsonaro

Apesar de debandada na equipe, Guedes diz a auxiliares que fica no governo

Segundo participantes do encontro, Alcolumbre disse que, hoje, o Senado ainda não tem condições de se debruçar sobre a desestatização da Eletrobrás, uma vez que ao menos 40 senadores são contra a proposta. 

A avaliação de quem participou da reunião no Alvorada foi a de que o encontro serviu para que Bolsonaro fizesse um gesto ao ministro da Economia, Paulo Guedes, no dia seguinte à debandada de integrantes da equipe econômica. Como fez de público, o presidente usou o encontro para afirmar que respeita o teto de gastos. 

“Agora, são todos pelo teto”, disse um dos presentes à CNN, pouco depois do pronunciamento de Bolsonaro na frente do Alvorada. 

Ainda de acordo com relatos, Bolsonaro teria descartado a possibilidade de prorrogação do decreto de calamidade pública, que se encerra em 31 de dezembro deste ano.

Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre

O presidente da República Jair Bolsonaro ao lado dos presidentes da Câmara e Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, em pronunciamento em Brasília

Foto: Reprodução (12.ago.2020)