Moro defende permanência de Deltan no comando da Lava Jato antes de julgamento

Chefe da força-tarefa enfrenta um pedido de afastamento no Conselho Nacional do Ministério Público, que será julgado na terça-feira (18)

Rudá Moreira, da CNN, em Brasília
17 de agosto de 2020 às 11:48
Sergio Moro faz pronunciamento à imprensa no dia em que deixou o governo
Foto: CNN (24.abr.2020)

O ex-ministro e ex-juiz federal da Operação Lava Jato, Sergio Moro, saiu em defesa da manutenção do procurador Deltan Dallagnol na coordenação da força-tarefa. O procurador da República no Paraná enfrenta um pedido de afastamento no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), cujo julgamento está marcado para esta terça-feira (18).

"A Constituição estabelece prerrogativas para os membros do MP, como a de não ser removido. Essa é a garantia para poder trabalhar com independência", escreveu Moro, nesta segunda-feira (17), no Twitter.

Leia mais:
Conselho do MP tem maioria para afastar Deltan Dallagnol da Lava Jato
Deltan Dallagnol recusa saída honrosa da Lava Jato
Por direito de defesa, Deltan pede que Supremo interrompa processo no CNMP

Sergio Moro ainda elogiou o trabalho de Deltan à frente da Operação. "O trabalho da força-tarefa da Lava Jato, coordenada por Deltan Dallagnol, é um marco para o combate à corrupção."

O pedido de remoção de Dallagnol a ser julgado pelo CNMP foi feito pela senadora Kátia Abreu (PP-TO). A parlamentar argumenta que a tentativa de a força-tarefa criar uma fundação para administrar parte de recursos que ficariam no Brasil a partir de um acordo que a Petrobras firmou com os Estados Unidos para indenizar acionistas lesados pelo esquema de corrupção na companhia teria por objetivo garantir a "credibilidade institucional".