MPF sugere para 21 de setembro acareação entre Flávio Bolsonaro e Paulo Marinho

Na ocasião, os dois devem ficar frente a frente em uma das últimas etapas da investigação do Ministério Público Federal que apura suspeita de vazamento da Opera

Diego Freire, da CNN, em São Paulo
19 de agosto de 2020 às 00:58 | Atualizado 19 de agosto de 2020 às 07:05

O Ministério Público Federal (MPF) sugere que aconteça em 21 de setembro a acareação entre o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) e o empresário Paulo Marinho, segundo informações da analista da CNN, Basília Rodrigues. Na ocasião, os dois devem ficar frente a frente em uma das últimas etapas da investigação do Ministério Público Federal que apura suspeita de vazamento da Operação Furna da Onça. 

A avaliação do MPF é que um dos dois está mentindo, e a acareação entre os dois será decisiva para encaminhar a apuração sobre o caso.

Leia também:
Flávio Bolsonaro diz que investigação é 'página virada' e critica Paulo Marinho

O senador Flávio Bolsonaro
Foto: Pedro França/Agência Senado (19.fev.2019)

Paulo Marinho afirmou, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, que o senador teria se beneficiado de vazamento da operação Furna da Onça, que investigou um esquema de corrupção na Assembleia Legislativa do Rio, a Alerj, onde Flávio Bolsonaro foi deputado estadual de 2003 a 2018. Ao MPF e à PF, Marinho repetiu as afirmações. 

Flávio não era alvo da Furna da Onça, mas seu assessor, Fabrício Queiroz, aparecia em um documento anexado ao inquérito. Segundo Marinho, ao ser informado disso, Flávio exonerou Queiroz de seu gabinete.

Em nota enviada nesta terça-feira (18), a defesa de Flávio Bolsonaro afirmou que não foi intimada até o momento para novas etapas do processo.

"A defesa do Senador Flávio Bolsonaro esclarece que não foi intimada até o momento sobre o agendamento de qualquer ato processual, mas reforça a  prerrogativa legal dos parlamentares federais de ajustar dia e hora da sua conveniência com as autoridades para a realização de depoimentos".

(Com informações de Basília Rodrigues e Leandro Resende)